terça-feira, 21/05/2019
Boas Práticas

Escola de São Paulo promove degustação com alimentos produzidos na Horta Educativa

Salsinha, manjericão, cebolinha e hortelã são cultivadas em escola participante do PEI na capital paulista

Na última sexta-feira (17), os estudantes da E. E. Brasílio Machado, na Zona Oeste de São Paulo, provaram um alimento diferente na alimentação escolar. Um patê de ervas foi adicionado ao cardápio, resultado de uma produção multidisciplinar da disciplina de ciências do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental da unidade, que é participante do PEI – Programa Ensino Integral.

As professoras Claudia Ferreira da Silva Vieira, Marcia Cristina Amorim Chagas e Anny Christine Kisters tiveram a ideia de aproveitar os alimentos produzidos na Horta Educativa da unidade para ensinar aos alunos os benefícios de uma alimentação equilibrada e também a importância do uso correto e sem desperdício de alimentos.

Chamada de “Educação Alimentar e Nutricional – Desperdício de Alimentos e o impacto sobre recursos naturais”, a oficina teve como ponto de partida a colheita de ervas plantadas pelos próprios estudantes, como salsinha, manjericão, cebolinha e hortelã. “Todos os ingredientes são do mato, como os alunos chamam, e eles mesmos plantaram e colheram”, explica a professora Claudia Vieira.

Em conjunto com as professoras, um patê de ervas foi desenvolvido na cozinha da escola. As ervas foram acrescidas de ricota, requeijão e limão cravo, outro produto retirado da própria escola, que tem um pé de limoeiro cuidado por toda a comunidade. “No preparo do patê, frisamos aos estudantes que é possível fazer o aproveitamento total da erva, com folhas, caule e até a raiz, que nesse caso não foi usada”, pontua a diretora Simone Santoro Romano.

Outra ideia da atividade foi também contar o benefício das ervas na alimentação. A cebolinha possui diversos nutrientes importantes, como potássio, ferro, cálcio e vitaminas A e C. Já a hortelã melhora a digestão, alivia a síndrome do intestino irritado e também alivia dor e náuseas.

Escola tem Horta Educativa desde 2015

Projeto da Educação em parceria com o Fundo Social de Solidariedade (Fussesp) e a Secretaria de Estado da Agricultura, a Horta Educativa tem como intuito ensinar na prática conceitos de educação ambiental, nutricional e valorização do meio rural pela implementação de hortas dentro da escola.

Na E.E. Alcides da Costa Vidigal, também em São Paulo, estudantes dedicam parte do tempo escolar nos cuidados com a horta. “O grande objetivo é fazer com que eles comam aquilo que eles plantam”, conta a vice-diretora da unidade de ensino, Isabel de Carvalho Nascimento. A proposta também incentivou muitos pais a colaborem com o projeto. “A gente trabalha na horta desde o primeiro ano e é muito legal porque a gente pode ensinar os nossos pais”, afirma a estudante Maria Eduarda da Silva, de 10 anos.

A E. E. Brasílio Machado é participante do programa desde 2015, e ações como o patê de ervas são frequentes para aproveitar o uso dos alimentos produzidos.