terça-feira, 08/10/2019
Avisos de Pautas

Concurso “Vozes pela Igualdade” continua com inscrições abertas

Prazo de envio de trabalhos vai até dia 18 de outubro

A quarta edição do concurso de música “Vozes pela Igualdade de Gênero” continua com inscrições abertas. Para participar, é preciso compor a letra de uma música, individualmente ou em grupos de até cinco pessoas. As letras precisam ser inéditas, em qualquer estilo musical, e composta em língua portuguesa.

Podem participar alunos e alunas das escolas estaduais matriculados no Ensino Médio ou nos cursos de Educação de Jovens e Adultos (EJA). As inscrições vão até dia 18 de outubro. As dez composições finalistas, na fase estadual, receberão certificados de finalistas, e a música vencedora terá gravação em estúdio profissional.

“A cada ano que passa, o concurso está cada vez maior. Na última edição foram impactadas mais de 270 mil pessoas. Para essa edição queremos ampliar e atingir cada vez mais vozes”, pontua o secretário executivo Haroldo Rocha, presente no lançamento de inauguração.

Para este ano, o concurso apresentou o tema “A cor da minha pele dá poder à minha voz!”, que segundo os vencedores anteriores, serve de ajuda para pensar o ritmo e a letra de cada música. “Quando eu pesquisei para poder escrever e foi muito interessante, por que eu aprendi e cresci muito escrevendo essa música”, disse Elian Flores, vencedor da 2ª edição do concurso em 2017.

Além de mobilizar jovens da rede, o concurso também inclui promotores, que são pessoas, ligadas ou não à escola, que irão espalhar as músicas e ajudar os estudantes na composição musical. “Informação muda histórias e  muda vidas. Uma das muitas formas de nos comunicar é a música, por isso nosso papel será de democratizá-la para toda a rede”, relata promotora Valérias Diaz Fernandes.

Participação da escola

Para participar, cada escola deverá formar uma comissão multidisciplinar que será responsável pela avaliação e seleção de até cinco músicas inscritas. A escola deverá organizar uma votação para escolher a melhor canção, que será encaminhada à Diretoria de Ensino correspondente.

“A participação da escola é fundamental, não apenas no concurso, mas na divulgação de boas práticas sobre o tema e também na conscientização de assuntos como esse, tão fundamentais para a sociedade brasileira”, explica Caetano Siqueira, coordenador da COPED.

Na segunda fase, haverá a escolha da Diretoria de Ensino, que faz a avaliação e seleção das músicas recebidas das escolas. Na última etapa, ocorrerá a escolha das dez melhores composições musicais feitas pela comissão julgadora formada por representantes do Ministério Público, da Secretaria da Educação e da área musical.