quarta-feira, 03/04/2019
Boas Práticas

Green Nation promove experiência interativa para discutir sustentabilidade e meio-ambiente

Evento aconteceu até sexta (29) e reuniu diversos estudantes e professores da rede pública

Pelo menos por uma semana, o Parque do Ibirapuera virou uma sala de aula diferente. Interativa e cheia de simulações e demonstrações, o prédio recebeu diversos alunos e professores da rede estadual de ensino de São Paulo para o Green Nation, festival interativo com foco na sustentabilidade e meio-ambiente.

Esta foi a quinta vez que o festival foi realizado, a primeira em São Paulo. Com mais de dez interações espalhadas nos dois andares do Pavilhão das Culturas Brasileiras, o passeio é uma imersão tecnológica em temas que tocam na conscientização ambiental e mostram diversas realidades, como uma casa no semiárido brasileiro ou uma simulação de coleta seletiva.  

O início do Green Nation tem uma árvore, que pode ser apadrinhada. Quem vira padrinho conhece dados sobre a espécie e área de reflorestamento, além de acompanhar o crescimento. Depois, uma estrutura mostra o funcionamento de uma máquina de reciclagem de garrafas PET e experiências que mostram como funciona o processo de compostagem, como vivem as espécies no fundo do mar e como vivem os brasileiros na Antártida.

Uma das atrações mais concorridas foi a aeronave. Por meio da realidade virtual, os participantes podiam fazer um voo de asa delta para conhecer as águas brasileiras, passando por rios, cachoeiras e mares. “O que mais me chamou a atenção foi a espaçonave, que fala sobre animais em extinção e a importância de proteger a natureza. Esses eventos são bons  para conscientizar as pessoas que todo mundo precisa fazer sua parte”, pontua Karoline Freire Dias, aluna da rede pública do estado.

Um dos pontos altos do Green Nation foi a simulação do caminho dos caminho do lixo até os rios, mostrando o processo de poluição das águas e como revertê-lo. “Meus alunos gostaram muito disso, principalmente porque fala de reciclagem e de materiais que podem ser reaproveitados”, explica Eduardo Jorge de Carvalho, professor de ciências da EE Adrião Bernardes. “É fundamental cer que aquilo que trabalhamos dentro da sala existe, que não é apenas uma aula ou fala do professor”.

Para o professor Rodrigues, da EE Armando Gaban, em Osasco, o evento é uma continuidade de projetos que ocorrem diariamente na rede pública: “Nos sentimos honrados com o convite da Diretoria Regional de Ensino de Osasco para participar da Green Nation. Foi uma experiência maravilhosa para os alunos e nos lembrou das ações que desenvolvemos aqui, como coleta de materiais”, pontua.

O papel do professor é fundamental ao incentivar o aluno e colocá-lo como protagonista da preservação de nosso planeta. “Hoje, o professor é muito mais um tutor e um curador do conhecimento e desempenha isso para os alunos”, cita Haroldo Rocha, secretário-adjunto da Secretaria da Educação.

 

A Green Nation recebeu diversas escolas públicas da rede estadual e municipal de São Paulo. Um ranking das melhores atrações está em votação numa mostra competitiva. A ideia é repetir e ampliar o evento para 2020.