quinta-feira, 12/09/2019
Ensino Médio

Estudantes da Alexandre Von Humboldt, na capital, se preparam para maratona de vestibulares

Unidade faz parte do Programa de Ensino Integral que tem proposta pedagógica diferenciada

De olho em uma vaga no ensino superior público, os estudantes da Escola Estadual Alexandre Von Humboldt, na Lapa, Zona Oeste de São Paulo, se preparam ao longo de todo o Ensino Médio para o vestibular. A maratona de provas das principais universidades públicas de São Paulo começa em novembro.

Como a unidade está dentro do Programa de Ensino Integral (PEI), os estudantes têm desde a 1ª série aulas de projeto de vida, uma atividade que ajuda os adolescentes no processo de autoconhecimento, e consequentemente, a descobrir os caminhos profissionais que querem seguir.

A partir da 2ª série, os alunos das escolas PEI têm aulas de preparação acadêmica que os ajuda a entender a grade curricular das universidades, e por fim, no último ano, há aulas de introdução ao mundo do trabalho. Nestas aulas, os jovens aprendem a se preparar para entrevistas de emprego e a montar um currículo, por exemplo.

Thaís Dias, 17 anos, cursa a 3ª série do Ensino Médio na Escola Alexandre Von Humboldt, e diz que o projeto pedagógico a ajudou nesta fase pré-vestibular. Thaís quer cursar educação física e vai prestar a Fuvest, vestibular da Universidade de São Paulo (USP), Unesp, além do Enem.

“Aqui temos muita ajuda dos professores, se for preciso eles deixam de almoçar para tirar suas dúvidas ou explicar algo melhor da aula”, diz. Para ela, o projeto de vida, presente na 1ª e 2ª séries do Ensino Médio, ajuda os alunos a “se conhecer melhor e depois ter noção do caminho que querem seguir.”

Para Ivo Eduardo, 17 anos, se não fosse o projeto pedagógico da escola e as “aulas diferentes” esse momento de escolha ficaria ainda mais complicado. “As aulas de projeto de vida e preparação acadêmica ajudam muito. Sem isso estaria mais perdido.” Eduardo quer estudar engenharia e fará as provas da Fuvest, Unesp, Unifesp e Enem.

Victor Meira, 17 anos, concorda com os colegas. Ele também estuda na mesma unidade e abriu mão do cursinho pré-vestibular, mas focar somente nas aulas do Ensino Médio. Ele vai prestar vestibular para direito na USP e fazer o Enem.

Ter aulas sobre o vestibular ao longo do ano é uma das muitas vantagens do Ensino Integral. Neste programa, os estudantes passam a ter uma matriz curricular diferenciada que inclui preparação para o mundo do trabalho, orientação de estudos, experiências práticas de ciências, tutoria personalizada com um professor, além dos clubes juvenis, em que os alunos se auto-organizam de acordo com seus temas de interesse. A carga horária é de até nove horas e meia – na rede regular a jornada é de cinco horas.