quinta-feira, 02/06/2016
Boas Práticas

Alunos da rede se preparam para o vestibular produzindo curtas

Professor vai avaliar melhores projetos baseados em obras literárias obrigatórias

Iracema, Quincas Borba e Pedro Bala, icônicos personagens da literatura nacional, ganharam vida nas mãos do professor de artes, Gerson Cordeiro, da E.E. Jardim Bopeva, em Praia Grande. Para ajudar os alunos a compreenderem melhor as obras literárias obrigatórias para o vestibular e tornar a leitura mais prazerosa, o docente inovou na maneira de lecionar e incluiu no conteúdo programático da disciplina de Artes o “Oscar Bopeva”, que vai avaliar e premiar os alunos que se destacarem na produção de curtas-metragens baseados nos livros.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

O conteúdo da leitura foi dividido entre as três turmas de terceiro ano da escola, cada uma com dois grupos. As seis obras foram escolhidas pelos alunos: Iracema, Vidas Secas, O Cortiço, Capitães da areia, Memórias Póstumas de Brás Cubas e As Cidades e as Serras. Gerson explica que na divisão da releitura houve um sorteio para saber qual grupo ficaria com determinada obra, com possibilidade de troca entre os alunos.

“Eu escolhi Capitães da Areia influenciado pela minha avó, que é apaixonada por esse livro”, disse Leanderson Mota, 17, que pretende prestar vestibular para o curso de engenharia da computação na USP e na UNICAMP. Para o aluno, que é exemplo na área de exatas, a iniciativa do professor o ajuda a melhorar um campo que não anda tão bem assim: a gramática. Além disso, Leanderson destaca que não é só nas matérias da escola que a aula influencia. “A gente passa a enxergar as coisas de um outro ângulo. Eu não vejo mais um filme como eu via antes. Tenho uma visão mais crítica”, disse.

Kristal Puzuki, 17, dirige e é a personagem principal do romance Iracema, de José de Alencar, e destaca a importância do trabalho em equipe dos alunos engajados no projeto. “Antes de qualquer coisa, fizemos reuniões, dividimos as atividades, conversamos e estudamos a obra. Foi muito interessante a caracterização dos personagens, ver a transformação dos colegas e ver todo mundo participando junto”, disse. Kristal se prepara para o vestibular em medicina em universidades públicas dentro e fora do país. “Nas provas, em literatura, não tenho dúvidas de que estou preparada”, afirmou.

Para Gerson, o trabalho em equipe, não somente dos alunos, mas de toda a equipe gestora é fator decisivo para a eficácia da boa prática. “Toda a diretoria acreditou no meu projeto e deu subsidio para que ele acontecesse”, disse o professor.

Para produzir os curtas, os alunos desenvolveram roteiro, produziram figurino e maquiagem, ensaiaram e agora estão finalizando o material bruto para seguir com a edição. Ajudados pelo professor, que aplicou em aula os conceitos de cinema adquiridos na universidade, eles mesmos manuseiam as câmeras e editam o material. “Como docentes, nós já transformamos a vida desses alunos. O Oscar é apenas uma maneira de torná-los melhores ainda”, disse o professor.

A atividade faz parte do conteúdo programático da disciplina de Artes e terá avaliação comum. Para a parte artística do projeto, alguns artistas foram convidados pelo professor para avaliar as produções.

Com direito a tapete vermelho, alunos receberão estatueta

Como nas produções hollywoodianas, a entrega das “estatuetas” será realizada em uma noite de gala, em 17 de agosto, no Centro Cultural Palácio das Artes. Os alunos serão premiados nas categorias Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor, Melhor Figurino, Melhor Efeitos Especiais, Melhor Direção, Melhor Direção de Arte, Melhor Maquiagem, Melhor Edição de Som, Melhor Edição de Filme, Melhor Making of (Bastidores) e nas categorias especiais Melhor Fan Page e Voto Popular.