quinta-feira, 04/02/2016
Governo

Escolas de ciclo único têm desempenho superior às escolas com segmentos mistos

Apontamento foi feito pelo Idesp, indicador de qualidade das escolas paulistas, relativo a 2015

As escolas estaduais com ciclo único têm melhor desempenho do que as com diferentes segmentos. É o que aponta o Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo) relativo a 2015, divulgado pela Educação do Estado nesta quinta-feira (4). As escolas que atendem exclusivamente o ciclo 1 do Ensino Fundamental obtiveram média 5,55 do Idesp, enquanto que este ciclo em unidades com dois ou três segmentos obteve Idesp de 4,88.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Escolas apenas com Anos Finais mostram um desempenho 0,46 ponto acima de escolas com este e mais segmentos. Somente com os Anos Finais, Idesp de 3,52. Com ciclos mistos, os finais tiveram Idesp de 3,06.

Quando o assunto são os alunos do Ensino Médio o resultado confirma que o processo de aprendizagem acontece de maneira mais aprimorada nas escolas que focam em apenas um ciclo. Em 2015, as unidades que tiveram apenas Ensino Médio conseguiram um resultado 0,67 maior – 2,74 para escolas de ciclo único e 2,07 para escolas com mais de um segmento.

Melhor desempenho do Estado em oito anos

São Paulo alcançou o melhor índice da história na educação pública estadual. É o que demonstram os resultados do Idesp e do Saresp (Sistema de Avaliação e Rendimento Escolar do Estado de São Paulo) relativos a 2015. Já nesta sexta-feira (5,) as escolas receberão os resultados, possibilitando planejamento inédito de toda a rede para 2016.

O Idesp, principal indicador de qualidade das escolas paulistas (criado em 2008), apresentou no ano passado melhora em todos os níveis de ensino. E acelerou o ritmo do Estado rumo às metas (estabelecidas em 2008) para todos os ciclos em 2030. Em 2015, São Paulo chegou ao índice 5,25 nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (a meta é 7,0 para 2030). Nos Finais do Fundamental, alcançou 3,06 (a meta para daqui a 15 anos é 6,0). No Ensino Médio, 2,25 (a meta é 5,0 em 2030).

Clique aqui e confira a tabela com os números do Idesp 2015

Para cálculo do Idesp, a Educação une o resultado do Saresp em provas de Língua Portuguesa e Matemática, a taxas de aprovação, reprovação e abandono. A comparação entre os anos de 2014 e 2015 mostra avanço importante. A rede estadual avançou de 4,76 para 5,25 nos Anos Inciais do Fundamental. Nos Anos Finais, de 2,62 para 3,06. No Ensino Médio, de 1,93 para 2,25. Os finais do Fundamental e o Ensino Médio tiveram o maior avanço da história do Idesp: 0,44 e 0,31, respectivamente. Os iniciais do Fundamental tiveram o segundo melhor resultado da história (0,49), perdendo apenas para o avanço de 2008 para 2009 (0,61).

Somente nos Anos Iniciais, as escolas paulistas já cumpriram 74,4% (5,25) da meta (7) estabelecida para 2030. Nos Anos Finais do Fundamental, o índice de 3,06 representa 50,6% da meta 6. No Ensino Médio, os 2,25 são 44,8% da meta 5.

“É evidente que há muito a melhorar, que há um longo caminho para que esses índices sejam comparados aos dos melhores países do mundo em educação. Mas os resultados mostram que ações empregadas estão repercutindo positivamente no aprendizado dos estudantes”, afirma o secretário de Estado da Educação, José Renato Nalini.

Saresp

O Saresp de 2015 teve provas realizadas em 24 e 25 de novembro. A rede estadual paulista obteve também os mais avançados nos últimos oito anos. Provas de Língua Portuguesa e Matemática foram aplicadas para todos os alunos do 3º, 5º e 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e da 3ª série do Ensino Médio.

Todas as séries tiveram crescimento em Matemática, com o melhor resultado da história desde 2008. É o segundo ano seguido que os resultados da Educação melhoram em praticamente todas as séries.

Em Língua Portuguesa, somente o 3º do Ensino Fundamental apresentou declínio em relação a 2014. Todas as outras séries avançaram na comparação com o ano anterior. O 3º ano do Médio teve o melhor resultado desde 2012. Já 5º, 7º e 9º anos do Fundamental tiveram o melhor resultado desde 2008.

Clique aqui e confira a tabela com os números do Saresp 2015

A Educação aferiu que o impacto de movimentos contra a reorganização das escolas, no ano passado, foi mínimo. Os resultados incluem os alunos que boicotaram. E mesmo assim São Paulo avançou.

Além do resultado médio da rede por série avaliada, a Secretaria divulga percentuais de alunos em quatro níveis: Abaixo do Básico (não aprenderam o suficiente), Básico, Adequado e Avançado (estes três últimos aprenderam o que deveriam ou mais). Tanto em Língua Portuguesa quanto em Matemática, todas as séries ampliaram o número estudantes com conhecimentos Básico, Adequado e Avançado, reduzindo, assim, os alunos com nível Abaixo do Básico.

Foco Aprendizagem

Entre as novidades previstas pela Educação para ampliar ainda mais o rendimento dos estudantes da rede está a plataforma “Foco Aprendizagem”. Este ano, professores e diretores de escolas terão um diagnóstico mais preciso sobre as habilidades e competências de cada turma por disciplina e receberão um cardápio de intervenções a fim de melhorar ainda mais o nível de aprendizagem dos alunos. O site reúne ainda dados das últimas edições do Saresp e é utilizado como referência na organização dos planos de aula e de reforço.

Ações de 2015

Em 2015, pela primeira vez, a rede estadual utilizou a tecnologia no reforço de conteúdo dos estudantes do Ensino Fundamental e Médio. O programa “Aventuras do Currículo+” indicou mais de 205 mil alunos para aulas extras de Língua Portuguesa e Matemática. As atividades são feitas com auxílio do computador (da sala do Acessa Escola ou de casa). Desde o primeiro semestre, estudantes do Ensino Médio tiveram à disposição o programa Geekie+, plataforma digital que reúne planos de estudos personalizados com base na prova do Enem.

Ainda foi colocado em prática o novo sistema de Avaliação e Aprendizagem em Processo: desde o segundo semestre, as provas corrigidas foram cadastradas em um banco de dados e os resultados devolvidas às escolas. O exame, obrigatório em todas as escolas com 2º do ano do Ensino Fundamental até a 3ª série do Ensino Médio, tem como objetivo diagnosticar o desempenho dos alunos no semestre anterior e apontar estratégias para melhorar o aprendizado até o fim do ano letivo.