sexta-feira, 15/02/2019
Ensino Fundamental

No Dia D contra a dengue, alunos dão dicas sobre como combater o Aedes aegypti

Medidas simples podem ser tomadas em casa e na escola para controlar a proliferação do mosquito

Combater a dengue não é uma tarefa difícil, mas é preciso ter dedicação para observar e eliminar todo e qualquer foco de água parada, local predileto para as fêmeas do Aedes aegypti botarem seus ovos. No Dia D contra a dengue, celebrado nesta sexta-feira (15), mais de 5 mil escolas estaduais em todo o Estado se mobilizaram para discutir ações de combate ao mosquito.

Quem já teve a doença, sabe que não é nada fácil. Thiago Silva Zibordi, aluno do segundo ano do ensino médio da E. E. Prof. Milton da Silva Rodrigues, na zona norte de São Paulo, conta que ficou um mês de cama, sem ver os amigos, por causa da dengue.

“Sentia muita dor no corpo, muita febre e não conseguia comer direito por causa da falta de apetite. Fiquei dois dias no hospital tomando soro, e hoje quero alertar para que todos vejam, em suas casas, se há vasos de plantas, pneus ou ralos que estão acumulando água parada”, diz. “A dengue é uma doença muito ruim, e pode até mesmo levar à morte, dependendo da gravidade”, alerta.

Mateus Dias Passos, aluno do terceiro ano do ensino médio da mesma escola conta que na instituição os alunos fizeram várias atividades durante esta semana para conscientizar as pessoas sobre a importância de combater o mosquito da dengue.

“Fizemos placas de alerta e também entregamos às pessoas sementes de uma planta chamada crotalária. Essa flor atrai libélulas, inseto que, assim como o Aedes aegypti, bota ovos na água parada. A diferença é que, quando essas larvas nascem, elas acabam comendo as larvas do mosquito transmissor da dengue, fazendo com que elas não se proliferem”, explica o estudante.

Além disso, ele ressalta que também participou de um projeto de uma espécie de “ratoeira” para mosquitos, a chamada mosquitoeira.

“Essa mosquitoeira pode ser feita na sua casa, pois é feita de materiais reutilizáveis. Nós, por exemplo, usamos garrafas PET, cortadas ao meio. São materiais simples que você também pode fazer na sua casa para combater a dengue”, finaliza.

Veja abaixo outras medidas para evitar a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor dos vírus da dengue, zika e chikungunya:

  • Armazene o lixo de casa em sacos plásticos bem fechados, e também mantenha a lixeira tampada;
  • Limpe a calha com regularidade, eliminando folhas e qualquer material que possa impedir a água de correr. Quando a calha está entupida, a água se acumula e pode virar um criadouro do Aedes aegypti
  • Não deixe os vasos das plantas com água parada; para evitar, basta encher os pratos com areia até a borda;
  • Se tem plantas aquáticas em casa, dedique um tempo pelo menos uma vez na semana para trocar a água e lavar o vaso com escova, água e sabão;
  • Qualquer recipiente que possa acumular água deve ser armazenado virados para baixo, como garrafas e outros materiais;
  • Já verificou se a sua caixa d’água está bem fechada? Quando aberta, ela pode virar uma verdadeira “maternidade” para o mosquito transmissor da dengue.