quarta-feira, 04/10/2006
Últimas Notícias

Primavera e poesia tomam conta de Escola Estadual do interior

Idéia surgiu depois da pesquisa feita para participar do prêmio Escrevendo o Futuro Quem disse que o trabalho feito para um concurso não pode ser usado em outras atividades escolares? Prova disso foi o Sarau Literário organizado na Escola Estadual Edda Cardozo de Souza Marcussi, em São Joaquim da Barra, interior de São Paulo, no […]

Idéia surgiu depois da pesquisa feita para participar do prêmio Escrevendo o Futuro

Quem disse que o trabalho feito para um concurso não pode ser usado em outras atividades escolares? Prova disso foi o Sarau Literário organizado na Escola Estadual Edda Cardozo de Souza Marcussi, em São Joaquim da Barra, interior de São Paulo, no último dia 22. A idéia surgiu depois da pesquisa feita para participar do prêmio Escrevendo o Futuro, oferecido pela Fundação Itaú Cultural.

É lendo que se aprende

Depois de conhecer as obras de vários poetas, os alunos se apaixonaram pelas poesias e por seus autores. “Diante disso, perguntei o que achavam de mostrar o que aprenderam em um sarau com a presença dos pais: eles toparam na hora,” conta a professora da 5ª série A, Adriana Guimarães Félice Garcia.

Como foi

Os ensaios começaram depois que cada um escolheu o poema preferido. Eles também organizaram um livro – incluindo capa, dedicatória, agradecimento e parecer pessoal – com todas as atividades desenvolvidas. O trabalho não parou por aí. A confecção dos convites para o sarau e a decoração do pátio da escola também ficaram a cargo dos estudantes, ajudados pela professora Cândida, de Artes.

“Foi emocionante ver Olavo Bilac, Gonçalves Dias, Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade, Vinícius de Moraes, Manuel Bandeira, Elias José e tantos outros desfilarem na voz trêmula e tímida de jovens poetas, crianças na alma e no coração”, relembra a coordenadora pedagógica da escola, Ivani Vianna.

Reencontro

O Sarau Literário foi além com a apresentação de alunos da 7ª série do ensino fundamental durante a coreografia montada a partir da música Planeta Água. No elenco, ex-alunos da professora Adriana, que agora cursam o ensino médio.

Sobre o Escrevendo o Futuro

Criado pela Fundação Itaú Social, o concurso tem como objetivo estimular o desenvolvimento de competências para a escrita e o exercício da cidadania. O prêmio, que engloba os gêneros Artigo de Opinião, Memórias e Poesia, é voltado para alunos de 4ª e 5ª séries do ensino fundamental de todo o País.

A comissão estadual de São Paulo foi a primeira a realizar a seleção dos semifinalistas do prêmio. Foram ao todo 2.984 escolas municipais e estaduais inscritas, envolvendo 7.629 professores. Dos 1.503 textos recebidos de escolas paulistas, 27 foram selecionados para essa etapa: 15 são da rede estadual. O primeiro colocado de cada gênero continuará no concurso até a etapa final, que deve se estender até dia 13 de novembro. A premiação final ocorrerá no começo de dezembro.