quinta-feira, 01/06/2017
EJA - Educação de Jovens e Adultos

Professores do Ensino Médio poderão concorrer ao Prêmio Educador Nota 10

Com inscrições até 12 de junho, concurso é ampliado a docentes da educação básica de todo o Brasil

Projetos de professores do Ensino Médio da rede também poderão concorrer ao prêmio Educador Nota 10. Organizado pela Fundação Victor Civita há 20 edições, o concurso reconhece as iniciativas de profissionais da Educação Infantil e Ensino Fundamental (incluindo Educação de Jovens e Adultos – EJA). A partir deste ano, docentes do último ciclo foram incluídos na disputa. As inscrições estão abertas em todo o país e seguem até 12 de junho no site do concurso.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

A seleção é dividida em duas etapas. Na primeira, uma banca formada por especialistas de diversas disciplinas (Alfabetização, Língua Portuguesa, Educação Física, História, Arte, Língua Estrangeira, Ciências, Matemática e Geografia) é responsável por analisar o projeto ou a sequência de atividade inscrita. Por isso, é importante que o candidato relate em detalhes como é o trabalho em sala de aula e o que os alunos aprenderam. São escolhidos 50 finalistas.

Dessa lista final, sairão 10 vencedores, que receberá um vale presente de R$ 15 mil e serão convidados ao evento de premiação previsto para o segundo semestre. É no encontro que será divulgado o nome do Educador Nota 10 (além do vale presente, a escola onde o trabalho foi aplicado ganhará R$ 5 mil). Em 2016, o trabalho de ‘leitura dramática’ levou a professora Karin Groner da Escola Estadual Professor Fernando Brasil, na região de Tabatinga, à última etapa do concurso.

São Paulo é recordista em inscrição

Desde o lançamento do Prêmio, o estado de São Paulo foi o Estado com mais inscrições de professores. Além de Karin, nos últimos seis anos, a rede paulista estadual foi representada na final por quatro professores e um gestor. Os projetos inovadores incluem estudos sobre animais peçonhentos, diagnóstico do aprendizado de crianças, além de oficinas de dança, lenga-lenga e petecas. Todas as atividades estão em curso nas escolas estaduais e, com o prêmio, têm a chance de serem replicadas em outros estados e regiões do País.

Para saber mais, acesse a intranet da Educação