quarta-feira, 02/08/2017
Crédito: A2img / Daniel Guimarães
Professores e Funcionários

#Professores: vejam dicas de bibliotecas virtuais para visitar sem sair de casa

Com apenas um clique, é possível conhecer espaços de leitura espalhados pelo mundo inteiro

Sabia que é possível dar a volta ao mundo navegando por prateleiras de bibliotecas? O “Eu Indico”, da Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Professores (EFAP), listou alguns espaços de leitura virtuais para visitar sem sair de casa. Confira:

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Real Gabinete Português de Leitura – Brasil: são 179 anos de existência desde a inauguração feita pela Princesa Isabel. Em estilo neomanuelino, a biblioteca foi projetada pelo português Rafael da Silva Castro e fundado por 43 imigrantes portugueses do Rio de Janeiro, com o objetivo de dar oportunidade aos portugueses residentes na capital de ampliarem seus conhecimentos. O acervo reúne a maior coleção de obras portuguesas fora de Portugal e guarda cerca de 350 mil volumes, milhares deles de obras raras, como um exemplar da primeira versão de “Os Lusíadas”, de Camões, escrita em 1572.

A biblioteca é conhecida por sua história, sediando as cinco primeiras sessões solenes da Academia Brasileira de Letras, e também pela beleza arquitetônica, com prateleiras de madeira trabalhada e obras de arte. O local já serviu de cenário para filmes, séries de TV e figura na lista das 20 mais lindas do mundo feita pela Revista Times.

The George Peabody Library – EUA: a beleza do lugar é tamanha que casais apaixonados o escolhem para o tão sonhado “sim”. O edifício projetado pelo arquiteto de Baltimore, Edmund G. Lind, é formado por camadas de rochas ornamentais em ferro fundido e varandas que se elevam para a claraboia, a 18,6m acima do piso.

A biblioteca pode ser usada para casamentos e recepções, mas claro, a finalidade maior é promover o conhecimento. Inaugurada em 1857 por George Peabody, um filantropo nascido em Massachusetts, como agradecimento aos cidadãos de Baltimore pela hospitalidade, tem um acervo de cerca de 300 mil volumes, sendo a maioria do período entre os séculos XVIII e XX. Por lá é possível encontrar uma das coleções mais importantes do mundo das edições de “Dom Quixote”, do espanhol Miguel de Cervantes. A Biblioteca pertence à Jonhs Hopkins University e é aberta ao público.

Biblioteca Municipal Stuttgart – Alemanha: o site da biblioteca é discretíssimo e não revela nem de longe a beleza da construção erguida em 2011, aparentemente simples como um cubo de nove andares feitos de tijolos de vidro. O interior da construção com paredes e pisos totalmente brancos, onde os livros são os verdadeiros protagonistas, é o ponto alto da arquitetura. As escadas facilitam o acesso às coleções distribuídas por temas pelos andares. A acessibilidade é total em todas as áreas públicas e o sistema de empréstimo possui pontos automatizados de devolução diretamente ligados a um sistema de esteiras rolantes, que transporta os volumes até os pavimentos. E para os insones existe um programa especial que funciona 24 horas por dia para empréstimo de livros e CDs, além de uma iluminação em diferentes cores à noite.