quarta-feira, 29/08/2018
Foto Divulgação
Ensino Integral

“Projeto de Vida” ajuda estudantes na escolha de uma carreira

Escolas de Programa de Ensino Integral contam com essa disciplina que visa orientar alunos na escolha de uma profissão

Nas escolas de Ensino Integral, os estudantes definem um objetivo para sua carreira e as disciplinas eletivas por meio do “Projeto de Vida”. As atividades auxiliam o jovem na escolha de uma profissão e estimulam o protagonismo juvenil.

“O PEI é um projeto muito bacana porque trabalha em parceria com o projeto de vida do aluno. E toda essa estrutura leva à transformação do jovem, à formação do aluno autônomo, solidário, competente. O PEI forma cidadãos, e eu acho que o papel da escola do futuro é formar cidadãos”, explica o professor de Física, Ednilson Luiz Silva Vaz, da escola José Marcondes de Mattos, localizada em Taubaté.

Orientador de um projeto de robótica, Ednilson Vaz está desenvolvendo um protótipo que auxilia na locomoção de pessoas portadoras de deficiência visual. Trata-se de um par de óculos que emite sons quando intercepta um obstáculo à frente de quem o transporta.

O jovem Sebastião Guilherme Junior explica que recebeu uma proposta para desenvolver uma ferramenta que contribuísse de alguma forma na vida de alguém. Ele tinha uma ideia, mas não sabia como desenvolver.  “A gente pensou um pouco e lembramos do sensor de ré de carro. Tínhamos uma noção, mas com a orientação do professor a gente aprendeu mais sobre o dispositivo”, disse.

Conscientização sobre a importância do ensino superior ou técnico foi tema de um projeto na escola Papa João Paulo II, em Ribeirão Preto. Debates foram realizados para que cada aluno falasse o que gostaria de trabalhar no futuro. Depois disso, diversas palestras sobre profissões foram realizadas na unidade de ensino.

“O incentivo aumenta a autoestima e dá mais vontade da gente continuar os estudos. O apoio na Papa João Paulo II, para muitos alunos, é maior do que o da família”, conta a jovem Ana Raquele Moreira.

As eletivas despertam o desejo dos alunos pela busca de uma carreira. “Eu penso em ser físico teórico, que foca mais na parte da teoria. Mexe mais com as equações, conceitos, elabora determinadas ideias e teorias. E depois testa para ver se é compatível”, fala o estudante Estefano Enrico Pereira da Silva e Lima.