sexta-feira, 17/08/2018
Boas Práticas

Projeto Eleições: Alunos participam de ação que simula processo eleitoral

Em Caraguatatuba, escola permite que os estudantes participem de coligação, campanha, debate e eleição

A cada quatro anos, a democracia nos dá o direito de selecionar representantes para conduzir o nosso país. A escolha dos candidatos, dessa forma, deve ser prudente e com extrema responsabilidade. É através dessa perspectiva que a Escola Estadual Benedita Pinto Ferreira, em Caraguatatuba, desenvolve trabalhos com seus alunos.

Neste período eleitoral, cerca de 190 estudantes do Ensino Médio participam de um projeto que irá eleger candidatos fictícios dentro da escola. A ideia é fazer com que os jovens conheçam de perto os mecanismos e estratégias das eleições, bem como aprender sobre o funcionamento da política brasileira.

Sendo assim, os três anos foram divididos para representar um tipo de candidato no processo. As salas do primeiro serão os deputados, as do segundo terão candidatos a governador, enquanto as do terceiro, presidente. A iniciativa acontecerá nas mesmas etapas que a eleição presidencial de 2018.

Simulação

Os candidatos serão selecionados dentro das próprias salas de aula e o trabalho funcionará em quatro fases. Primeiro será feita a coligação, em que serão formados os partidos políticos fictícios. Em seguida, caberá aos alunos desenvolver todo material de campanha, como vídeos, jingles, conteúdos para redes sociais, entre outros.

A terceira etapa, assim como no cenário atual, será a de debates. Os candidatos que concorrem aos três cargos deverão apresentar propostas, responder perguntas da plateia e explicar porquê são as melhores opções para o posto.

“Como estamos em pleno ano político, eu juntei o útil ao agradável. É um assunto que eles não se interessam e essa foi uma forma de tornar o ensino mais interessante”, explica a coordenadora do projeto e professora de história, Maria José Santos de Oliveira.

Segundo ela, o intuito é expandir o aprendizado dentro de sala e explanar os conceitos políticos, como o que são e o que fazem os três poderes (executivo, legislativo e judiciário). Além disso, a proposta ressalta noções de democracia e cidadania.

O professor de sociologia e filosofia da unidade, Marcelino de Santos Pereira, também utiliza o projeto para aplicar na prática o conteúdo que aborda em aula com os jovens. “Antes de começá-lo, fizemos uma avaliação para descobrirmos quais os conceitos e assuntos eles menos conheciam sobre política. Vimos, por exemplo, que 90% não entendiam o processo da Lei da Ficha Limpa”, afirma.

Os candidatos, portanto, deverão formular propostas de melhorias tanto para a escola, quanto para o bairro. De acordo com os professores, é fazer com que eles imaginem a unidade como uma nação: o país ‘Benedita’.

As eleições estão previstas para acontecer no próximo dia 06 de setembro na própria unidade. Tanto cédulas de votação quanto título de eleitor farão parte da simulação na data. Os vencedores participarão de uma cerimônia de posse e ganharão prêmios.

Além dos cadernos

Essa não é a única iniciativa que a E.E. Benedita Pinto Ferreira desenvolve com os seus alunos. O projeto faz parte de uma proposta elaborada pela instituição de tempo integral que todo bimestre desenvolve trabalhos de diferentes áreas do conhecimento. Na Copa do Mundo, por exemplo, os estudantes contaram com ações voltadas para Ciências.

“O ensino integral trabalha com o projeto de vida do aluno, entende que o estudo é importante para suas escolhas futuras. Com esses projetos, queremos conscientizar, informar e unir conhecimentos teóricos de uma forma mais lúdica”, complementa o diretor da unidade, Laércio Pereira Júnior.

Edina Paula Roma Teixeira, dirigente regional de ensino de Caraguatatuba, também enfatiza o fato da escola ter desenvolvido muito bem a proposta das instituições de tempo integral. “Projetos assim incentivam os alunos e a comunidade, ficamos muito orgulhosos”, completa.