terça-feira, 30/07/2019
Governo do Estado de São Paulo
Boas Práticas

Projeto Minecraf Edição Educativa chega em salas de aula da rede pública estadual

Para a iniciativa ser executada, foi criada uma nova edição do jogo, em que o professor consegue ter controle do que acontece no mapa

O projeto Minecraft Edição Educativa chegou em algumas unidades das redes de ensino da Diretoria de Ensino da Região Sul 1 da capital. A iniciativa prevê auxiliar os alunos no aprendizado de uma maneira diferente, tornando as aulas mais divertidas e do jeito que a criançada gosta, jogando.

Minecraft é um jogo mundialmente famoso, em que existe um mapa aberto e os jogadores podem cavar minas e construir diversos cenários com os blocos 3D, há alterações de períodos, entre dia e noite e mudanças climáticas. Não há muitas metas pré-estabelecidas, cabendo assim, ao jogador, usar a sua imaginação.

Em sala de aula, ele tem o objetivo de desenvolver competências como pensamento crítico, autonomia, protagonismo, raciocínio lógico e cidadania digital. Para o projeto ser executado nas salas de aulas, foi criada uma nova edição do jogo, em que o professor consegue ter controle do que acontece no mapa e tem liberdade para criar um ambiente virtual educativo, de acordo com o tema abordado em sala de aula.

Nas aulas em que a metodologia de ensino foi aplicada, os alunos aprenderam os diferentes gêneros textuais, desenharam em pixel – como o cenário do jogo, aprenderam a planificar solos geométricos, realizaram pesquisas e representaram o sistema solar, além de calcularem área e perímetro e construírem, dentro do jogo, objetos em 3D.

Para o professor de tecnologia educacional Francisco Tupy , o Minecraft traz inúmeras possibilidades para o professor. “A gente vê o quanto esse aluno se desenvolve como um líder natural, age melhor com processos e suas notas sobem naturalmente”, explica. Ele também pontua que o curso amplia as possibilidades de trabalho do professor. “Vão ter coisas para ajudar o professor gerir a sala de aula. Não é apenas um sistema, é todo planejamento de educação”, conta.

Uma parceria foi realizada entre a Microsoft Futura Code School e a Diretoria de Ensino Região Sul 1, da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, para capacitar os professores para que possam aplicar o projeto nas salas de aula. A Educação busca, desta forma, garantir também a formação continuada dos professores com as novas tecnologias.

O professor embaixador da Microsoft, Rodrigo Assirati, explica que professores podem ter acesso a uma comunidade global de educadores da Microsoft, que trocam experiências e compartilham ideias de como trabalhar o jogo tradicional. “Utilizando o jogo no modo criativo, permitimos que o aluno construa qualquer tipo de coisa. O professor consegue direcionar isso para ter um benefício pedagógico em qualquer disciplina.”

Acesse a comunidade global

O projeto foi oferecido inicialmente para professores e educadores do Ensino Fundamental dos anos iniciais e professores coordenadores do Ensino Fundamental também dos anos iniciais, da Diretoria de Ensino Região Sul 1.