quinta-feira, 17/03/2016
A Escola Que Queremos

Quer criar um Grêmio em sua escola? A Educação te ajuda!

Secretaria preparou material com os principais pontos para quem tem interesse sobre o assunto

Para a Educação, os processos dos Grêmios Estudantis devem ser realizados ainda no início do ano letivo, assim os estudantes têm a chance utilizar melhor o tempo durante todo este período para a participação nas decisões e atividades da unidade escolar. Pensando nisso, foi produzido um material com dicas e orientações para a implementação de um Grêmio, o Caderno em Forma.  

Clique aqui para ter acesso ao material.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

O caderno, que está na segunda edição, explica o que é um Grêmio, conta a história do movimento estudantil na história do Brasil, leis que reforçam a existência do Grêmio estudantil, definições, modelo do estatuto, entre outros pontos. O material propõe ser um guia facilitador para a formação desses movimentos dentro das escolas, com o objetivo de estimular a criação e manutenção de Grêmios comprometidos e participativos. 

O Grêmio é uma organização que representa os interesses dos estudantes na escola e assim permite que os alunos discutam, criem e fortaleçam inúmeras possibilidades de ação tanto no próprio ambiente escolar como na comunidade.

O material faz parte do Projeto Grêmio em Forma do Instituto Sou da Paz e para realizar o trabalho visitou várias escolas, além de encontros e reuniões com representantes de Grêmios e pessoas ligadas à Educação.

2016: todas as escolas terão grêmios

A participação mais efetiva dos Grêmios Estudantis é uma das metas traçadas pela Educação para este ano letivo. Em fevereiro, no primeiro dia de volta às aulas, o secretário da Educação, professor José Renato Nalini, anunciou a intenção de oficializar em todas as escolas – de Ensino Fundamental e Médio – uma agremiação estudantil. A ideia central é ampliar a participação dos 3,7 milhões de alunos da rede e dar maior transparência ao processo. O processo eleitoral será feito pelo voto direto e secreto dos estudantes de cada unidade.

Para dar seguimento a iniciativa, a Educação criou o projeto “A Escola que Queremos”, que tem como objetivo dar voz aos estudantes para que eles mostrem as iniciativas criadas em cada unidade de ensino e ainda apontem quais são os principais impedimentos. A ação percorrerá todo o Estado, incluindo capital e região metropolitana. Na semana passada, Bauru foi a primeira região a receber o encontro, que contou com a participação do secretário. Clique aqui e veja como foi a reunião.