terça-feira, 17/11/2015
Pais e Alunos

Ocupações às escolas expõem documentos de servidores

Entidades que não têm relação com a Educação estão ocupadas em unidades escolares

Escolas da rede estadual de ensino estão sendo ocupadas por movimentos sociais que não têm relação com a Educação e que não apresentam nenhuma pauta educacional. “Eu compartilho com os pais de termos nas escolas entidades que não tem absolutamente nada a ver com a Educação e que colocam em risco, não só a questão de documentação, mas a vida dos estudantes”, afirmou o secretário da Educação, professor Herman Voorwald, durante coletiva de imprensa sobre a reorganização escolar, realizada nesta terça-feira (17), na sede da Educação.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Acesse a página oficial da reorganização escolar e saiba mais. 

“Estão impedindo que professores deem aulas e que os estudantes tenham a possibilidade de entrar na escola. Essa negociação com essas entidades eu não faço”, completa.

Na ocasião, o professor Herman destacou também a sua preocupação com a preservação do patrimônio público. “A minha preocupação é de que tem documentos na escola que tratam da vida de servidores, que tratam da vida escolar do menino, e que eu tenho gente na escola que não tem nada a ver com a escola, não tem nada a ver com a Educação”, ressalta.

A Educação entende que a medida que propõe aumentar escolas de ciclo único será concretizada com a participação de todos os interessados em criar um novo modelo de escolar e ressalta que está aberto ao diálogo com professores e movimentos estudantis.

“Com os estudantes, professores e pais não há qualquer tipo de dificuldade de diálogo. Aliás, eu quero entender quais são as demandas, eu quero entender quais são as reinvindicações, eu quero entender quais são as críticas. Agora com essas entidades, eu não posso permitir que elas atrapalhem a vida de milhares de crianças e jovens que queiram ir à escola e de professores que querem ministrar aulas”, destaca o professor Herman.

Sobre a reorganização

Além de ampliar o número de escolas divididas pelos três ciclos de educação (Ensino Infantil, Ensino Fundamental – Anos Iniciais e Anos Finais – e Ensino Médio), o objetivo da reorganização escolar é melhorar a qualidade do ensino das escolas de São Paulo. Com a nova proposta, os alunos do Ensino Médio, por exemplo, passarão a estudar apenas com estudantes deste segmento. O mesmo vale para os alunos dos ensinos Infantil e Fundamental.

Para 2016, serão criadas mais 754 escolas de ciclo único focadas em uma única faixa etária. Assim, 2.197 escolas em todo o Estado (43% do total) passarão a funcionar neste modelo a partir do próximo ano letivo. Também haverá a diminuição de 18% de escolas de dois segmentos, passando de 3209 para 2635. Com este processo, serão reabertas 2.956 classes ociosas. Saiba mais aqui.