quinta-feira, 12/11/2015
Pais e Alunos

Reorganização escolar não vai alterar o limite de alunos dentro das salas de aulas

Três módulos definem a quantidade média de estudantes nas salas de aula

A Educação reforça que vai cumprir o limite de alunos dentro das salas de aula com a reorganização escolar da rede estadual paulista, que entrará em vigor a partir de 2016. Foram definidos três módulos que delimitarão a quantidade de estudantes nas salas de aula por ciclo.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

– Confira aqui a página exclusiva da reorganização. 

A média de alunos nas salas de Ensino Fundamental Anos Iniciais será de 30 alunos. Já nos Anos Finais do Fundamental, a média será de 35 estudantes. Os alunos do Ensino Médio ficarão em salas de aula com capacidade média para 40 pessoas. Caso haja necessidade, o limite médio imposto pelos três módulos poderá ser revisto após a reorganização.

A Educação respeita também a Resolução SE 82/2000, que define que as salas da Educação de Jovens e Adultos (EJA) devem conter 40 alunos. 

“A Secretaria da Educação tem um módulo para definir a quantidade de alunos por sala de aula. Uma vez reorganizada a rede estadual, podemos rever a resolução desse módulo. Porém, antes de tudo, é fundamental que haja a reorganização de nossas escolas”, afirma o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.

Sobre a reorganização

Além de ampliar o número de escolas divididas pelos três ciclos de educação (Ensino Infantil, Ensino Fundamental – Anos Iniciais e Anos Finais – e Ensino Médio), o objetivo da reorganização escolar é melhorar a qualidade do ensino das escolas de São Paulo. Com a nova proposta, os alunos do Ensino Médio, por exemplo, passarão a estudar apenas com estudantes deste segmento. O mesmo vale para os alunos dos ensinos Infantil e Fundamental.

Para 2016, serão criadas mais 754 escolas de ciclo único focadas em uma única faixa etária. Assim, 2.197 escolas em todo o Estado (43% do total) passarão a funcionar neste modelo a partir do próximo ano letivo. Também haverá a diminuição de 18% de escolas de dois segmentos, passando de 3209 para 2635. Com este processo, serão reabertas 2.956 classes ociosas. Saiba mais aqui.

Vale destacar que nem todas as escolas passarão pela reorganização. As escolas com mais de um ciclo ainda funcionarão, devido às diferenças demográficas e as necessidades por escolas para diversas faixas etárias em algumas regiões.

A Educação também marcou para 14 de novembro um megaencontro nas escolas de todo o Estado. O “Dia E” será a oportunidade para ouvir a comunidade e tirar as dúvidas que estão surgindo durante o processo. A expectativa da Educação é que cerca de 1 milhão de estudantes sejam beneficiados diretamente com as mudanças na rede. Saiba mais aqui.