quarta-feira, 09/11/2005
Últimas Notícias

Saresp 2005 vai avaliar mais de cinco milhões de alunos das redes estadual, municipal e particular

Nos dias 9 e 10 de novembro, mais de cinco milhões de alunos da Educação Básica passam por avaliação de Leitura, Escrita e Matemática Mais de quatro milhões de alunos da rede pública estadual serão avaliados em suas habilidades de Leitura, Escrita e Matemática, nos dias 9 e 10 de novembro, pelo Sistema de Avaliação […]

Nos dias 9 e 10 de novembro, mais de cinco milhões de alunos da Educação Básica passam por avaliação de Leitura, Escrita e Matemática

Mais de quatro milhões de alunos da rede pública estadual serão avaliados em suas habilidades de Leitura, Escrita e Matemática, nos dias 9 e 10 de novembro, pelo Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp), que se tornou um modelo de referência de avaliação em todo o Brasil. Além da previsão dos 4.447.714 alunos de 5.279 escolas estaduais, participarão da nona edição do Saresp 791.468 alunos de 2.093 escolas municipais e mais 22.527 alunos de 71 escolas particulares.

Com esses números, a abrangência do Saresp 2005 deve alcançar um total de 5.261.709 de alunos de todas as séries do Ensino Fundamental e Médio, das escolas urbanas e rurais da rede estadual e também das escolas das redes particular e municipal que aderiram ao sistema. No ano passado, passaram pela avaliação 390 mil alunos de redes municipais, um número que praticamente dobrou em 2005, com os 329 municípios que aderiram. As demais avaliações realizadas no País geralmente são por amostragem e não permitem uma análise global do ensino em todas as séries.

Matemática é a novidade do 2005

A principal novidade do Saresp 2005 é a inclusão de Matemática. Nas suas primeiras edições, o Saresp avaliou as habilidades cognitivas desenvolvidas pelos alunos durante o processo de escolarização em séries e componentes curriculares diversos . Nós últimos anos, porém, o Sistema vem considerando as habilidades cognitivas de leitura e escrita adquiridas pelos alunos ao longo de todas as séries. Desde o ano de sua implantação, em 1996, até 2000, o sistema avaliava anualmente apenas duas séries (do Ensino Fundamental ou Médio). Em 2.000, foram avaliadas três séries. Em 2001 e 2002, foram avaliadas as séries de final de ciclo de 4ª e 8ª série do Ensino Fundamental. Já em 2003 e 2004 p articiparam todos os estudantes da 1ª a 8ª série do Ensino Fundamental e de 1ª a 3ª série do Ensino Médio.

O Saresp utiliza basicamente dois instrumentos de avaliação. O primeiro consiste na aplicação de provas para medir o desempenho dos alunos em Leitura/Escrita e Matemática, constituída cada uma de questões objetivas, tanto para o Ensino Fundamental (3ª a 8ª séries) quanto no Ensino Médio. Essas provas apresentam também um tema para redação do tipo narrativo descritivo para o Ensino Fundamental. No Ensino Médio o tema é dissertativo-argumentativo. Para a 1ª e 2ª séries do Ensino Fundamental as provas são constituídas de questões abertas.

O segundo instrumento é o questionário do aluno, por meio do qual são coletadas informações sobre suas características pessoais, seu contexto socioeconômico e cultural, sua trajetória escolar, suas percepções acerca dos professores e da gestão da escola, além de sua participação nos projetos da SEE.

Base para o planejamento escolar de 2006

Com os resultados do Saresp 2005, a Secretaria de Educação terá um diagnóstico das habilidades do aluno em Leitura e Escrita e Matemática, que lhe servirá de base para o planejamento escolar de 2006, criando ainda os programas de recuperação e reforço. Num segundo momento, todas as escolas, diretorias de ensino e coordenadorias receberão um informe personalizado de resultados, com dados de abrangência e desempenho, dados comparativos de série a série e ano a ano, e escalas de habilidades com os níveis de desempenho em Leitura e Matemática.

O conjunto deste material, que se torna uma radiografia da realidade do Ensino Básico em São Paulo, é o instrumento para definir políticas públicas, para reorientar programa e projetos educacionais e também o projeto pedagógico de cada escola na rede estadual. Essas iniciativas enriquecem todo o processo pedagógico oferecendo indicadores quantitativos e qualitativos importantes para direcionar as propostas pedagógicas de cada escola, o trabalho docente na sala de aula e os investimentos da Secretaria da Educação.

Vera Souza Danta