quarta-feira, 29/04/2020
Últimas Notícias

Secretaria de Educação cria Escritório de Evidências em busca da gestão baseada em informação  

Equipe atuará em quatro frentes e ajudará na formulação e implementação de políticas, programas e projetos que refletem na sala de aula

A Secretaria de Educação de São Paulo (Seduc) acredita tanto nos valores de transparência, inovação e gestão baseada em evidências que eles estão documentados no Plano Estratégico da Secretaria da Educação para 2019 a 2022.

Gestão baseada em evidências nada mais é que fazer uso de resultados de estudos, análise de dados e avaliações das políticas educacionais para qualificar a tomada de decisão de gestores públicos. Essa ação melhora a formulação e implementação das políticas de toda a secretaria que repercutem na sala de aula e na aprendizagem dos estudantes.

De acordo com a gestora do Escritório de Evidências, Paula Miranda, esta ação melhora a formulação e implementação das políticas, programas e projetos de toda a secretaria que repercutem na sala de aula e na aprendizagem dos estudantes. “Se melhorarmos o tratamento e a análise dos dados, contando com a colaboração de pesquisadores e instituições de pesquisa, produziremos melhores diagnósticos sobre nossas políticas e fomentaremos internamente essa cultura, por meio da formação das equipes”, disse.

A equipe do Escritório trabalha em quatro frentes principais:

1) Dados Abertos

O Portal de Dados Abertos da Seduc, inaugurado em novembro de 2018, é uma plataforma digital que fortalece a cultura da transparência ativa e uma gestão mais democrática. Lá se encontram cerca de 40 bases de dados sobre uma vasta gama de assuntos. O objetivo é, por meio da atualização e divulgação permanentes das bases de dados, tornar o Portal a principal fonte de dados educacionais públicos do Estado de São Paulo – ele pode ser acessado por pesquisadores da educação e pela sociedade em geral.

Outras iniciativas dessa frente são a Sala Segura e o Desafio Seduc de Dados Abertos. A Sala Segura está sendo criada para permitir que pesquisadores analisem bases de dados da Seduc protegidas por conterem dados pessoais, sem infringir a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). O Desafio é um concurso de projetos de análise das bases de dados da Seduc, que premiará o melhor projeto individual com recursos para a continuidade da análise durante 5 semanas. As inscrições estão abertas até dia 03 de maio – saiba mais

2) Rede de Evidências Educacionais

A rede será um fórum horizontal de pesquisadores, instituições de ensino e pesquisa e o terceiro setor voltado à produção e troca de conhecimento sobre a educação pública, monitoramento e avaliação de projetos e programas. A Seduc fará um convite público com critérios claros para essa participação, pautados nas necessidades da Secretaria.

3) Projetos e pesquisas

Essa frente irá concretizar as parcerias da Seduc com pesquisadores e instituições de pesquisa que queiram fazer uso dos dados educacionais para avaliar projetos e políticas, sempre com foco na melhoria da gestão educacional. Ainda estão em análise os formatos possíveis para essas colaborações.

4) Seminários e cursos

Para efetivamente consolidar a cultura da gestão baseada em evidências, é preciso formar profissionais. Os Seminários do Escritório de Evidências começaram dia 08 de fevereiro, na Sede da Seduc: pesquisadores apresentam para servidores seus estudos recentes em educação e avaliação de políticas públicas. Desde o dia 27 de março eles estão sendo virtuais, pela Rede do Saber, e com isso atingem público bem maior. Veja a programação

Também estão sendo concebidos, com o apoio da Efape, cursos de formação de servidores em ferramentas de tratamento de dados (programas como Excel e R) e métodos de monitoramento e avaliação de políticas públicas.