quarta-feira, 14/12/2005
Últimas Notícias

Show das sapatilhas encerra temporada no Teatro Caetano de Campos

Professor de dança é voluntário no projeto há 4 anos. A apresentação misturou ritmos e culturas. A apresentação anual de dança no Teatro Caetano de Campos no domingo, dia 11, mais uma vez mostrou o que a arte de dançar, junto com a força de vontade e sensibilidade de dançarinos voluntários, fazem a diferença e […]

Professor de dança é voluntário no projeto há 4 anos. A apresentação misturou ritmos e culturas.

A apresentação anual de dança no Teatro Caetano de Campos no domingo, dia 11, mais uma vez mostrou o que a arte de dançar, junto com a força de vontade e sensibilidade de dançarinos voluntários, fazem a diferença e a felicidade, estampada nos rostos felizes de mais cem meninos e meninas, com idade entre quatro e quinze anos, de várias escolas de São Paulo.

O espetáculo “Primavera, Tangos e Sambas” uniu alunos da escola Caetano de Campos – Aclimação aos alunos da Escola de Dança Espaço D, crianças do Centro de Orientação da Família do Cambuci e do Espaço Gente Jovem Frei Leonel de Interlagos.

Foram 21 coreografias de ballet clássico, dança moderna e outros ritmos.

 

 

 

 

 

Um exemplo é a música Canto do Pegoneiro, cantada por Carmem Miranda, que foi dançada na ponta, no estilo clássico do bale, pela aluna nissei Camilly. Com traje japonês e leque na mão, ela e o parceiro de dança Bruno, vestido de Tio Sam e com sombrinha de frevo, quebraram a monotonia do óbvio e encantaram a todos.

O responsável por tanta integração e diversidade é o professor de dança Josivan Oliveira. Jô, como é conhecido, é voluntário na Caetano de Campos há quatro anos. “A dança tem o poder de educar, porque é repassada e apreciada pela imitação”, explica.

Aos 37 anos de idade, Jô dança desde os 14 anos, quando foi bolsista em Goiás por uma escola afiliada da Academia Royal de Dança de Londres. “Quero repassar um pouco do que recebi da dança”, conclui.