quarta-feira, 30/03/2005
Últimas Notícias

TELECONFERÊNCIA REFORÇA A IMPORTÂNCIA DA LEITURA

“O que é um livro se não o abrimos? Simplesmente um cubo de papel e couro com folhas. Mas, se o lemos, acontece algo especial, creio que muda a cada vez…” As palavras do escritor Jorge Luis Borges refletem o quanto um livro pode transformar a vida de quem o lê. Hábito que a Secretaria […]

“O que é um livro se não o abrimos? Simplesmente um cubo de papel e couro com folhas. Mas, se o lemos, acontece algo especial, creio que muda a cada vez…”

As palavras do escritor Jorge Luis Borges refletem o quanto um livro pode transformar a vida de quem o lê. Hábito que a Secretaria de Estado da Educação faz questão de estimular com a criação do Projeto “Hora da Leitura”, voltado para alunos de 5ª a 8ª séries. “O aluno que conseguir ser um bom leitor vai ser um ótimo profissional, bem sucedido em todas as áreas”, disse o secretário de Estado da Educação, Gabriel Chalita, durante a teleconferência realizada na EE Padre Manuel da Nóbrega, da Capital, transmitida para todas as demais escolas da rede e também pela internet.

PROJETO JÁ COMEÇOU

O espaço para leitura é de 50 minutos por semana. Envolve cerca de dois milhões de estudantes e 9 mil e 200 professores. Até o fim do ano, quase R$ 30 milhões de reais serão investidos no “Hora da Leitura”. Durante a teleconferência, Gabriel Chalita disse que a participação dos professores é fundamental. “O nosso desejo é que os professores trabalhem intensamente para estimular o aluno a ler por prazer. E até convencer os pais a ler também.”

PARCERIA

O “Hora da Leitura” é desenvolvido em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura, que também tem colaborado para transformar São Paulo em um Estado de leitores. “Inauguramos até agora 125 bibliotecas em municípios, escolas e conjuntos habitacionais do Estado, disse a secretária Cláudia Costin, que não acredita na idéia de que a televisão, a internet e outras mídias concorrem com os livros. Prova disso é a parceria com a Rádio Cultura, que divulga resenhas de livros enviadas para o site www.leialivro.sp.gov.br

DIVERSÃO, INFORMAÇÃO E ARTE

Além das atividades mostradas em dois ambientes da EE Padre Manuel da Nóbrega, alunos, professores e dirigentes de ensino conheceram, ao vivo, o trabalho de leitura que já é feito pela EE José Celso de Mello, no município de Tatuí, interior do Estado. O uso do teatro para estimular o contato com a literatura emocionou a educadora e doutora em Letras, Marisa Lajolo. “No silêncio da leitura, cada um escolhe o papel que quer. Por isso a dramatização e o trabalho de leitura na escola são tão importantes”, disse.

HÁBITO VEM DO BERÇO

O escritor Pedro Bandeira, outro participante da teleconferência. lembrou que o hábito da leitura pode, e deve, ser estimulado desde os primeiros anos de vida. “Eu começei a ler pelas mãos de alguém que me levou por amor, no colinho da mãe.” A atriz Rosi Campos foi além. “O hábito de ler fica ainda mais gostoso se for acompanhado de um clima. Em dias nublados, escuros, por exemplo, adorava ler tramas de mistério, romance, suspense”, relembra a atriz.

MÚSICA E LEITURA

No final, o público pôde ouvir os alunos da EE Padre Manuel da Nóbrega cantando músicas de Caetano Veloso e Milton Nascimento, e ainda, o rap do Núcleo Cultural “Força Ativa”, de Cidade Tiradentes, zona leste da Capital. O refrão do rap resume bem, e de forma simples, o principal objetivo do “Hora da Leitura”:

“Vamos ler um livro, vamos ler um livro… Vamos ler um livro, vamos ler um livro…”

Celso Bandarra