quarta-feira, 11/12/2019
Destaque

Últimos dias para entregar as atividades do Inova Educação

Segunda etapa da formação está em curso desde outubro, módulos devem ser completados até dia 16 de dezembro

Os professores que estão participando da formação do Inova Educação, política educacional da Secretaria da Educação a partir do ano que vem, têm até o dia 16 de dezembro para entregar as atividades faltantes do segundo módulo, que aborda as eletivas e componentes específicos que irão fazer parte da rotina escolar no retorno às aulas.

Caso você ainda não terminou a formação, vale lembrar que não é necessário se cadastrar, já que todo mundo que participou da primeira etapa está automaticamente cadastrado. Os módulos têm duração de 30 horas e podem ser feitos pela plataforma de ensino à distância da EFAPE, a AVA-EFAPE.

Esse módulo é destinado a aprofundar os três novos componentes da grade escolar no ano que vem e como eles estão conectados aos estudantes do Século XXI. No Projeto de Vida, haverá um módulo para explicar como os assuntos serão apresentados para os alunos ano a ano e quais competências socioemocionais serão enfatizadas dentro desse processo.

Já nas Eletivas, a formação objetiva ensinar o professor a construir sua própria eletiva a partir de boas práticas que já funcionam na rede. Todos terão tópicos teóricos sobre cada uma das disciplinas e atividades práticas serão disponibilizadas para que os professores tenham contato com a nova grande. “O curso irá dar todos os fundamentos para que os professores possam interagir com a nova disciplina e entender por completo como ela pode ser ministrada da melhor forma possível aos jovens”, pontua Viviane Senna, do Instituto Ayrton Senna.

Por fim, em Tecnologia e Inovação, o curso vai contar um pouco sobre cada um dos eixos que fazem parte do componente: tecnologias digitais da informação e da comunicação; letramento digital; e pensamento computacional. A formação é feira inteiramente de casa e pode ser entregue bem depois, se adequando à realidade de cada professor, como explica Caetano Siqueira, coordenador pedagógico na Educação: “Pensamos em algo adaptável, que pudesse ser feito de casa, sem maiores problemas. A primeira edição foi um sucesso e extremamente bem avaliada internamente”.