segunda-feira, 29/02/2016
Pais e Alunos

Você sabia que o ano de 2016 é bissexto? Entenda o que isso significa!

Ao invés de 365 dias no calendário, o ano terá 366; dia extra ocorre nesta segunda-feira (29)

Quase sempre, na virada do ano, dizemos que temos 365 oportunidades para vivenciar no novo ciclo, porém esse ano tem uma particularidade importante: ele é bissexto! Os anos bissextos acontecem de quatro em quatro anos e possuem 366 dias, sempre no dia 29 de fevereiro. 

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Para entender o fenômeno, temos que voltar ao tempo, mais precisamente na cidade de Alexandria, no Egito de 238 A.C. Naquela época, já acreditava-se que o movimento de translação da Terra durava 365 dias. O calendário então, era dividido da seguinte maneira: 12 meses com 30 dias cada, no qual adicionava-se mais cinco dias para se completar os 365. Entretanto, o tempo que a Terra gasta para dar uma volta completa em torno do sol é de 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 46 segundos, aproximadamente. Essa fração de dias, quando arredondada para seis horas, é compensada no Ano Bissexto, já que seis horas, em quatro anos, são 24 horas, ou seja, mais um dia.

Tal fato só veio à tona algum tempo depois, quando os egípcios perceberam que a plantação e colheita de suas lavouras estava sendo alterada, colocando em risco sua sobrevivência. Após novos cálculos, chegaram à conclusão de que o ano durava 365,25 dias, ou 365 dias e 6 horas. Logo, 24 horas (um dia) dividido por seis horas é igual a quatro. Entendeu?

Com isso, os egípcios entenderam que era necessário, a cada quatro anos, acrescentar um dia ao calendário. O evento hoje é conhecido por historiadores como o famoso e tradicional Calendário Alexandrino.

Ano bissexto no ocidente

Foi somente em 45 A.C., que o calendário do Ano Bissexto foi adotado no ocidente, mais especificamente em Roma. No Império Romano, o calendário era baseado nas fases da Lua – chamado de Ano Lunar, que durava 304 dias divididos em dez meses, sendo seis meses com 31 dias e o restante com 30. Portanto, o ano começava no mês de março, não existindo os meses de janeiro e fevereiro, respectivamente.

Com Júlio César no poder, os romanos passaram a adotar o Ano Solar como calendário oficial. A partir desse momento, os meses de janeiro e fevereiro passaram a existir tendo, assim, a necessidade de o calendário, a cada quatro anos, ter 366 dias. Os antigos romanos também decidiram que esse dia extra seria 29 de fevereiro, o menor mês do ano. Reza a lenda que a escolha se deu por ser o último mês do Calendário Juliano e também pelo “sextus die ante calendas Martias”, ou seja, haveria dois sextos dias antes do primeiro dia de março, isto porque se teria osextus die e o bis-sextus die. Logo, o mês anterior era fevereiro.

Como se calcula o Ano Bissexto?

O cálculo é muito simples. O ano será bissexto quando ele for divisível por quatro. O ano de 2016, por exemplo, é divisível por quatro. Logo, é considerado um ano bissexto.

A regra não é válida quando for um ano centenário, como 1700, 1800 ou 1900. Entretanto, também é considerado bissexto o ano centenário que for divisível por 400. O ano 2000, por exemplo, foi bissexto.