25/05/17

Escolas da rede participam de etapa local de discussões do projeto Gestão Democrática

Categoria

Secretário da Educação acompanhou nesta quinta (25) encontro na E.E. Alfredo Paulino

O calendário do projeto Gestão Democrática segue em maio a etapa local, centrada em discussões nas 5 mil escolas da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. Nesta quinta-feira (25), o secretário José Renato Nalini acompanhou um dos encontros programados na E.E. Alfredo Paulino, na zona oeste da capital.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

“Nós vimos hoje uma verdadeira gestão que trabalha a democracia, pais participando, alunos com vez e voz dentro da unidade escolar. Então, esse ambiente todo aqui comunga para o que nós queremos de educação, que é todo mundo participando”, disse a dirigente de ensino da região Centro Oeste, Rosangela Aparecida de Almeida Valim.

Neste momento, as unidades têm a oportunidade de avaliar a própria realidade e propor soluções. A ideia é que com ajuda dos Facilitadores – professores da rede capacitados com técnicas de design thinking - a comunidade seja capaz de identificar o que precisa mudar ou avançar. Os dados extraídos do questionário serão utilizados pelas escolas para conduzir os debates.

“Com essas ações, nós conseguimos colocar para as crianças um novo jeito de ver a educação, de ver a escola. As crianças têm alegria de vir pra escola, de participar de ser, de fato, protagonista dessa história”, disse a diretora da unidade, Rosangela de Lima Yarshell.

Na primeira fase, em 2016, cerca de 500 mil estudantes, professores e pais/responsáveis responderam a um questionário online sobre a atuação das três principais instâncias democráticas: Grêmios, Conselho de Escola e Associação de Pais e Mestres (APM).

Gestão democrática melhora aprendizagem

De acordo com a enquete, mais da metade (61%) dos participantes creditam à gestão democrática a melhora da aprendizagem dos alunos, enquanto 60% apontam a garantia da inclusão e o respeito às diferenças entre as pessoas. Na avaliação sobre o Conselho de Escola, 53% disseram que existente, funciona e representa a comunidade. Outros 58% afirmaram que os grêmios e os representantes de classe são convidados e participam das reuniões.

O espaço ocupado pelos grêmios também estava entre os itens da pesquisa. Segundo os ouvintes, 49% indicaram que os colegiados foram criados por iniciativa dos alunos. Na opinião de 43% dos participantes, as associações de pais e mestres têm um plano de trabalho claro e é discutido com a comunidade. Mais: 38% esclareceram que há troca de informações entre a APM, Grêmio e Conselho.

Legislação escolar será atualizada

As discussões locais servirão de base para as próximas fases: regionais e estaduais, previstas para os próximos meses. Após o período de debate e de consulta pública, as contribuições vão compor um novo projeto de lei a ser apresentado na Assembleia Legislativa. Além disso, se aprovado o projeto, a Secretaria oferecerá cursos de formação continuada de professores, supervisores de ensino e equipes atentos às novas diretrizes.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Aliquid fuga?