terça-feira, 31/12/2019
Avisos de Pautas

Retrospectiva: com Líderes Públicos, rede ganhou gestores mais humanos

Projeto prevê a formação de líderes para 91 dirigentes de ensino no Estado

Na opinião de muita gente da Secretaria da Educação, o principal desafio da gestão pública da educação não é o conhecimento técnico, nem a grade curricular. “O mais difícil na escola é a gestão de pessoas. Ter uma relação próxima com professores e diretores é o primeiro passo para implementar mudanças e melhorias na escola”, explica Caetano Siqueira, coordenador da COPED.

Pensando nisso, a Educação lançou em 2019 o projeto Líderes Públicos, iniciativa inovadora que irá formar dirigentes regionais com critérios racionais e muito bem definidos para buscar os melhores profissionais da rede e valorizar aqueles que já fazem a diferença.  O processo seletivo foi até o dia 04 de julho, e nomeação dos gestores aconteceu em dezembro.

A ideia é valorizar os bons profissionais da rede de ensino e identificar os mais aptos a exercer liderança e bem preparados para ajudar a melhorar os índices de aprendizados dos alunos. “O gestor precisa ter uma agenda muito bem definida, começando pela base, material didático, conjunto de ações a serem tomadas. É com esse olhar que me junto a vocês. Uma boa gestão lida com pessoas e trabalha pela educação pública de qualidade”, cita Haroldo Rocha, secretário executivo da Educação.

A exemplo da gestão privada, a seleção funciona em oito etapas: há uma análise curricular e depois uma análise de referência profissional. Depois, o participante passa por um teste de perfil, feito numa ferramenta online, que reflete e pondera características da personalidade de cada um. Depois há uma pesquisa de crenças, entrevista de mapeamento de competências, uma avaliação de ação de melhoria do Ideb e duas entrevistas: uma com um especialista do governo e outra com um gestor direto.

O processo vira expor o participante a situações-problema que ajudam a clarear sua personalidade e suas crenças. Também quer clarear a ideia de que o gestor precisa sempre ter em mente um único objetivo. “O gestor precisa ter uma agenda muito bem definida, começando pela base, material didático, conjunto de ações a serem tomadas. Uma boa gestão lida com pessoas e trabalha pela educação pública de qualidade”, cita Renilda Peres, chefe do gabinete na Educação.

O programa é um ponto importante para a melhoria do aprendizado no ensino público em São Paulo. “O mais difícil na gestão é a gestão de pessoas. Ter uma relação próxima com professores e diretores é o primeiro passo para muita coisa”, citou o secretário Rossieli na reunião. “Queremos um modelo de gestão que valorize o que já está estabelecido e que foque no compromisso, no resultado e nas competências que queremos”, completa.