segunda-feira, 28/10/2019
Inova Educação

Última semana para matricular novos alunos na rede estadual

Prazo vai até essa quinta-feira, dia 31; matrículas podem ser feitas nas escolas e no Poupatempo

Os alunos que vem de escola pública ou de outra rede, como a municipal, têm até o dia 31 de outubro para se matricular na rede estadual de São Paulo. A matrícula, que deve ser feita por um responsável, pode ser feita de várias maneiras: nas escolas e nas 72 unidades fixas do Poupatempo, mediante agendamento prévio.

Na data e horário marcados, os interessados precisam levar ao Poupatempo ou nas escolas, o RG ou a certidão de nascimento, além do comprovante de endereço do estudante. Para os menores de 18 anos é necessário estar acompanhado pelo representante legal, devidamente identificado. Concluída a inscrição nos postos, o cidadão receberá um comprovante de inscrição para acompanhamento do resultado de sua matricula, que sai no dia 28 de novembro na Secretaria Digital.

Para aqueles que preferem fazer no Poupatempo, solicitar o serviço é simples: basta acessar um dos seguintes canais de atendimento: o portal na internet, o aplicativo SP Serviços ou por meio dos totens de autoatendimento, distribuídos nos shoppings, supermercados, estações de Metrô e CPTM.

Atualmente, mais de 2,5 milhões de responsáveis pelos estudantes matriculados nas escolas estaduais de São Paulo fizeram a matrícula, e a Secretaria da Educação espera que esse número cresça com os novos adeptos. “Estamos ampliando o leque de opções, uma vez que o pai ainda terá a escola e a secretaria como apoio para realizar a matrícula. Queremos otimizar o pessoal e também tornar o processo mais automático”, afirma Renilda Peres, chefe de gabinete na Educação.

Vale lembrar que, para jovens do Ensino Médio, a matrícula também abrange o ensino médio técnico, com 7 opções de cursos: Desenvolvimento de Sistemas, Informática para Internet (Programação Web), Administração, Recursos Humanos, Marketing, Contabilidade e Logística.

“Nossa rede tem demanda por educação técnica. Segundo pesquisa realizada ainda nesse ano, 20% dos estudantes da rede querem se aprofundar em educação técnica e profissional. Nossos jovens não sabem as oportunidades que existem na área técnica, e isso é um problema da sociedade”, explica o secretário Rossieli Soares.