18/05/17

No Dia Internacional do Museu, confira dez opções na cidade de SP

Categoria

A Educação listou museus para te ajudar a programar um passeio agradável neste final de semana

Como um momento especial para a comunidade mundial dos museus é que 18 de maio marca o Dia Internacional dos Museus, efeméride criada pelo Conselho Internacional de Museus – ICOM, em 1977. Esse dia se torna, então, uma grande oportunidade para que você reunir seus colegas e familiares para visitarem um ou quantos museus puder. Pensando no seu passeio, separamos uma lista com 10 instituições bem legais que merecem a sua visita.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Pinacoteca
A Pinacoteca do Estado de São Paulo é um dos mais importantes museus de arte do Brasil. Ocupa um edifício construído em 1900, no Jardim da Luz, centro de São Paulo, projetado por Ramos de Azevedo para ser a sede do Liceu de Artes e Ofícios. É o mais antigo museu de arte de São Paulo, fundado em 1905 e regulamentado como museu público estadual desde 1911. A Pinacoteca abriga um dos maiores e mais representativos acervos de arte brasileira, com mais de dez mil peças que abrangem a história da pintura brasileira dos séculos XIX e XX.

Museu de Arte Moderna
Mais conhecido como MAM, tem função mista de museu e centro cultural. Lá é possível frequentar exposições temporárias, visitar o restaurante com vista para o parque, a loja de lembranças, o ateliê, a biblioteca com mais de 60 mil volumes, o auditório, ou ainda um dos muitos cursos ligados à sua proposta como história da arte, fotografia, desenho, pintura, teatro e figurino.

Seu acervo permanente tem mais de 5,5 mil peças das quais, curiosamente, a maioria é contemporânea pós-1945, em vez de moderna (do século XIX a metade do século XX) como o nome do museu poderia sugerir.

Museu Afro Brasil
O Museu Afro Brasil foi fundado em 23 de outubro de 2004 e possui um acervo com mais de cinco mil obras, produzidas desde o século XV, que representa a cultura africana e afro-brasileira. O museu fica no Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega, um dos edifícios integrantes do conjunto arquitetônico do Parque Ibirapuera, projetado por Oscar Niemeyer na década de 1950.

Com pinturas, esculturas, gravuras, documentos, fotografias e peças etnológicas, o local abarca traços das diversas representações da cultura africana e afro-brasileira, na perspectiva de autores nacionais e internacionais. O espaço abriga ainda a Biblioteca Carolina Maria de Jesus com aproximadamente 6.800 publicações, com uma coletânea especial de obras raras sobre tráfico atlântico e abolição da escravatura no Brasil, América Latina, Caribe e Estados Unidos.

Museu do Futebol
O Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu) foi inaugurado no dia 27 de abril de 1940. Mas, desde de 2008 abriga o Museu do Futebol. Sua arquitetura se destaca por integrar os espaços: o teto é a própria arquibancada, uma passarela liga os lados leste e oeste do prédio e permite uma bela visão da Praça Charles Miller.

Três eixos norteiam o passeio pelo museu: Emoção, História e Diversão. O visitante começa o percurso no saguão de entrada. Depois de torcer, é hora de se sentir entre os ídolos. A pessoa circula entre grandes painéis suspensos da Sala Anjos Barrocos, nos quais são exibidas as imagens em movimento de craques como Pelé, Falcão, Zico, Bebeto, Didi, Romário, Ronaldo, Gilmar, Gérson, Sócrates, Rivelino.

Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC USP)
Um nome de destaque da arte contemporânea e moderna em toda América Latina, o Museu de Arte Contemporânea, ou MAC, possui cerca de dez mil obras em seu acervo. Exposições temporárias ao longo do ano descortinam óleos, desenhos, gravuras, esculturas, objetos e trabalhos conceituais de grandes nomes do século XX como Picasso, Matisse, Miró, Kandinsky, Modigliani, Calder, Braque, Henry Moore, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Volpi, Brecheret, Flávio de Carvalho , Manabu Mabe, Antonio Dias e Regina Silveira, entre tantos outros.

Masp
Localizado na avenida Paulista, o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand é um dos mais importantes museus do hemisfério Sul e um dos principais cartões-postais da cidade. Está na lista das dez atrações turísticas mais visitadas de São Paulo. Possui um acervo de cerca de oito mil peças, entre elas obras de grandes nomes da pintura nacional (Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Anita Malfatti e Almeida Junior) e internacional (Rafael, Mantegna, Renoir, Monet, Cèzanne, Picasso, Van Gogh e Chagall).

Museu da Imagem e do Som
Desde a sua fundação, em 29 de maio de 1970, o MIS coleta, registra e preserva os sons e imagens mais representativos da arte e cultura brasileiras. Seu acervo é uma mistura do que há de mais relevante em obras de cinema, vídeos, fotos e músicas com documentação histórica, seja de legados artísticos ou tradição oral.

O museu também oferece programação fixa com o Cinematographo, que exibe projeções de filmes mudos com acompanhamento de música ao vivo, o Dança no MIS, com apresentações de dança contemporânea, o Estéreo MIS, que busca novos artistas da música independente nacional e o Notas Contemporâneas, que coleta registros de artistas da música erudita contemporânea.

Casa das Rosas
A Casa das Rosas é um espaço dedicado às mais diversas manifestações culturais, com enfoque em poesia e literatura. No local, a liberdade artística se materializa em saraus, recitais, lançamentos de livros, peças de teatro, cursos preparatórios, exposições e outros formatos que privilegiem a difusão da poesia e da arte em geral.

Museu Catavento
Inaugurado em 2009, no antigo prédio do Palácio das Indústrias, o Catavento Cultural e Educacional possui mais de oito mil metros quadrados, nos quais estão dispersas, aproximadamente, 250 atrações que prometem entreter crianças, jovens e adultos de todos os gostos.

O local tem como objetivo apresentar para crianças e adolescentes, assim como para adultos, conhecimentos científicos e culturais transmitidos de forma lúdica, por meio de exposições e outros ambientes interativos.

Museu da Casa Brasileira
O Museu da Casa Brasileira (MCB) é dedicado à temática da morada brasileira. A partir dos pilares da arquitetura e do designer, o espaço se tornou referência nacional e internacional e é responsável pela criação do Prêmio Design MCB, que incentiva a produção brasileira no segmento, e o Projeto Casas do Brasil, que busca o resgate e a preservação da memória sobre a diversidade de morar do brasileiro.

Além das mostras temporárias, a instituição oferece duas de longa duração: Coleção MCB, com móveis e objetos representativos da casa brasileira desde o século XVII e A Casa e a Cidade – Coleção Crespi Prado, que mostra o antigo uso residencial do museu, a partir da trajetória dos moradores originais, como o casal Renata Crespi e Fábio Prado.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Aliquid fuga?