Boas Práticas

Escolas estaduais criam rádios para entreter e informar no intervalo das aulas

Programação tem espaço para notícias, anúncios e muita música

qui, 13.10.2016

Há 94 anos, o Brasil acompanhou a primeira transmissão radiofônica. De lá para cá, surgiram outros meios de comunicação, mas o rádio continua companheiro das pessoas no trajeto para o trabalho, na volta para casa e também nas escolas estaduais de São Paulo. Nas unidades de ensino, os estudantes – nascidos muito tempo depois de Edgard Roquete Pinto – descobriram ali uma boa alternativa para entreter os intervalos das aulas.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

É exatamente o que fazem os alunos da E.E. Dr. Alberto Cardoso de Mello Neto, na zona norte, da capital. De segunda à sexta-feira, integrantes do Grêmio Estudantil levam ao ar duas edições de um programa ao vivo de 20 minutos cada – de manhã e à tarde. A programação musical varia a cada dia e vai do samba ao rock. Além das músicas, os 12 integrantes ‘radialistas’ utilizam os equipamentos e o “estúdio” para eventos da escola e para divulgação de recados de interesse de professores e funcionários da unidade. 

Na E.E. Ítalo Betarello, também na zona norte, a sexta-feira foi o dia escolhido para a programação de rádio. Durante 15 minutos, os alunos da Rádio Betarello misturam as músicas pedidas pelos estudantes da unidade com notícias culturais que envolvem a cidade de São Paulo. Saiba mais aqui

Os alunos da E.E. Alexandre Von Humboldt, na zona oeste, também desenvolvem um projeto de radiodifusão. Por lá, os alunos entram no ar no horário do intervalo de aulas para passar recados e tocar música nas áreas comuns da escola. Saiba mais aqui