quinta-feira, 28/03/2019
Destaque

Comunidade da escola Professor Raul Brasil, em Suzano, é homenageada

Ao todo foram entregues 29 medalhas a alunos, professores e outros profissionais da escola, da Polícia Militar e de hospitais que realizaram atendimento às vítimas do episódio

O Palácio dos Bandeiras foi palco nesta quinta-feira (28) de uma homenagem aos alunos, profissionais e instituições que se destacaram no atendimento às vítimas do episódio ocorrido na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano.

Com a presença do Governador João Dória e do Secretário da Educação Rossieli Soares, entre outros, foram entregues 29 Medalhas MMDC – Caetano de Campos aos presentes. Essa é a maior honraria concedida pelo Estado de São Paulo na área da educação.

Os homenageados foram lembrados por suas ações relevantes no enfrentamento, proteção, socorro e amparo às vítimas e seus familiares durante a tragédia ocorrida no dia 13 de março.“Este gesto do Governo de São Paulo não traz vidas de volta, mas reconhece o apoio daqueles que ajudaram a evitar que esta tragédia fosse ainda maior”, declarou o Governador.

Doria lembrou a ação rápida de atendimento dos policiais militares, a atitude das professoras de “trancar” com móveis as portas do centro de línguas e das merendeiras que esconderam alunos na copa e os hospitais que ajudaram a salvar as vidas dos feridos.

“As pessoas perguntam se o que aconteceu em Suzano é um problema de segurança, de educação ou que tipo de problema é esse. Não é um problema da escola, não é um problema meramente de segurança. Isso vai muito além e nós precisamos olhar cada vez mais para a raiz do que aconteceu, porque não podemos deixar passar em branco toda essa tragédia”, destacou o Secretário Estadual da Educação, Rossieli Soares da Silva.

Entre os homenageados, estão as merendeiras que protegeram cerca de 50 alunos dentro da cozinha durante o tiroteio; a aluna que lutou com um dos atiradores; o policial em licença médica, vizinho da escola que, à paisana, foi ao local após ouvir os primeiros tiros; representantes de hospitais que ofereceram atendimento médico às vítimas; e policiais da Força Tática que chegaram rapidamente à escola (veja lista completa abaixo).

“Tudo o que fiz foi por amor. Acho que o amor é maior do que tudo o que aconteceu naquele momento. Sei que sempre que olhar para essa medalha, vou lembrar de todas as vítimas com muito orgulho e muita saudade”, disse Silmara Cristina Silva de Moraes, uma das merendeiras presentes no episódio.

“Todos fomos herois, dentro do que podíamos fazer pelo próximo. Foi uma felicidade rever o Governadores, as autoridades e o pessoal da escola. Nunca vou esquecer esse momento”, pontua Eduardo Andrade Santos, policial militar que é vizinho da escola.

O Governador também destacou o esforço da escola para retomar as aulas e a execução das obras de revitalização para que “possa ser não a memória de uma tragédia, mas a lembrança de algo que não mais deve acontecer no nosso país”.

“Que todos nós que somos pais possamos compreender que o diálogo que nós estabelecemos com nossos filhos, principalmente filhos menores, é de fundamental importância para que desajustes e circunstâncias que levaram esses dois homicidas a fazerem o que fizeram, possam ser evitados”, finalizou Doria.

 

Instituído em 2016, o prêmio tem a finalidade de recompensar personalidades e instituições por relevantes serviços prestados à sociedade paulista. O nome da medalha lembra os mártires da Revolução Constitucionalista de 1932, Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo (MMDC).

Homenageados desta quinta-feira:

  • Agnaldo dos Reis Xavier (professor do ensino regular)
  • Anderson Luiz Camargo (policial militar da Força Tática)
  • Ariana Aparecida da Silva Torres (policial militar da Força Tática)
  • Beatriz Gonçalves Fernandes (aluna)
  • Carlos Alberto da Silva (professor do Centro de Línguas)
  • Carlos Marcelo Campos de Almeida (professor do ensino regular)
  • Cícera Celestino Torres (professor do ensino regular)
  • Claudete de Mattos Fratin de Oliveira (professor do Centro de Línguas)
  • Eduardo Andrade Santos (policial à paisana)
  • Gerson Costa dos Santos (professor do ensino regular)
  • Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
  • Hospital de Clínicas Luzia de Pinho Melo
  • Hospital Geral de Itaquaquecetuba
  • Hospital Santa Maria
  • Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Suzano
  • Jussara Aparecida de Melo (professor do Centro de Línguas)
  • Lilian Keli Guilherme de Lima (vice-diretora)
  • Luzinete Alves dos Santos (merendeira)
  • Paloma Correia Pires (professor do Centro de Línguas)
  • Prefeitura Municipal de Suzano
  • Pronto Socorro Municipal de Suzano
  • Rhyllary Barbosa de Souza (aluna)
  • Rosemeire Perrella Leite da Silva (professor do ensino regular)
  • Sandra Aparecida Ferreira (merendeira)
  • Sandra Marques Figueira Peres (professor do ensino regular)
  • Silmara Cristina Silva de Moraes (merendeira)
  • Teresinha de Lourdes Lima Oliveira (professor do ensino regular)
  • Valdecir Gomes da Silva (vice-diretor)
  • Vantuir Rodrigues Diniz (policial militar da Força Tática)