terça-feira, 05/06/2018
Ensino Fundamental

Cursos de idiomas em escolas estimula a cidadania entre alunos e população local

Os alunos têm a oportunidade de aprender inglês, francês, alemão, espanhol e japonês

Nas manhãs de sábado que jovens e adultos se reúnem na escola Café Filho, localizada na zona sul da cidade de São Paulo, para aprender um novo idioma e agregar conhecimento. A ação é fruto de uma parceria da unidade de ensino com a ONG Cidadão Pró-Mundo que oferece essa atividade para pessoas de comunidades carentes, promovendo igualdade de oportunidades por meio de professores voluntários de inglês.

O projeto, que não tem fins lucrativos, tem dado tão certo que as filas para inscrição, sempre nos últimos meses do ano, são disputadas. E a satisfação dos educadores pelo compromisso firmado e pela interação social conquistada com a iniciativa também é das grandes.

As salas de aula da Café Filho são utilizadas para dividir as turmas de acordo com a preparação do aluno, de A a J. A cada início de semestre, são realizadas as inscrições e também um teste rápido de conversação para o avanço ou não de nível de conhecimento.

“Atualmente, segundo o programa Escola da Família, são quase 250 alunos divididos em 15 salas e cerca de 90 professores voluntários, dedicados à empreitada. O curso leva aproximadamente cinco anos”, diz a coordenadora regional Maria Solange da Silva.

A ONG Cidadão Pró-Mundo, parceira da escola, existe há mais de 20 anos e atende, atualmente, mais de 2 mil estudantes, em diferentes programas e estabelecimentos educacionais. A instituição tem como objetivo levar sua metodologia de voluntariado e ensino para transformar o ensino de línguas numa ferramenta de possibilidades para a população mais carente.

“O inglês é uma ferramenta de expansão das perspectivas da população, na medida em que promove o protagonismo dos cidadãos e, consequentemente, a transformação da sociedade”, comenta Duval Guimarães, presidente da CPM.

“A Pró-Mundo confirmou este impacto social de forma positiva, por meio de sua metodologia, independente da classe social dos participantes”, conta Conceição Aparecida de Souza, coordenadora local do projeto.

Exemplos disseminados

Na esteira dos projetos institucionalizados para além da sala de aula tradicional, a Escola Leopoldo Santana, no Capão Redondo, também promove com sucesso um curso de idiomas para seus alunos e moradores da região. “As inscrições para os cursos de inglês, francês, alemão, espanhol e japonês começam no dia 10 de junho e qualquer aluno da rede estadual de ensino pode participar, independente de estudar conosco ou não”, explica Helder Miranda, diretor da escola.