sexta-feira, 27/09/2019
Boas Práticas

Dia do Turismo: a declaração de amor de uma professora a São Paulo

Confira o depoimento da professora

Hoje, dia 27 de setembro, é o Dia do Turismo. O setor cresce a cada dia: segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra crescimento de 4,4% no setor em julho de 2019, em relação ao mesmo período em 2018. No mesmo mês, os gastos de turistas estrangeiros no Brasil cresceram mais de 43% em relação ao mesmo mês de 2018, de acordo com dados do ministério.

Em São Paulo o turismo é considerado uma prioridade. Neste mês foram assinados 146 convênios para financiar obras em 85 municípios. “Fazer do turismo uma área inovadora, transformadora e de alta seriedade é o nosso objetivo no Estado de São Paulo”, afirma o Governador João Doria.

O turismo também pode ser um grande apoio na Educação. “Viajar, conhecer lugares novos e aprender novas culturas pode ser feito dentro da sala de aula ou com visitas turísticas a pontos históricos”, explica o Secretário de Turismo, Vinicius Lummertz. São diversas as possibilidades de uso do turismo na sala de aula. Um exemplo é nas aulas de história, falando não apenas sobre pontos turísticos, mas sobre a história da sociedade por meio de suas construções.

É o que a professora Kalina Elis Leitao Pereira, da Escola Estadual Brasílio Machado, fez. Especialmente para o portal, ela publicou uma carta aos cinco principais pontos turísticos de São Paulo. Uma declaração de amor à cidade, a seus habitantes e também a todos os turistas e visitantes que movimentam a maior metrópole da América do Sul. Confira!

Carta à cidade de São Paulo

É aqui na Cidade de São Paulo que encontramos o ritmo certo, as cores perfeitas e a história mais incrível que nós professores e estudantes da Rede Estadual buscamos para nutrir nossa curiosidade por saber.

Conhecer está metrópole não é só objeto de estudo geográfico ou histórico, e sim o aporte necessário para formar cidadãos paulistanos ativos, críticos, conscientes da sua obrigação em ocupar os espaços da cidade, com cidadania, responsabilidade de forma sustentável e renovável.

A Vila São Paulo de Piratininga surgiu por causa de um rio, o Tamanduateí, e os Jesuítas aproveitaram a sabedoria dos índios e construíram sua primeira capela entre as tribos. O Patteo Collégio São Paulo ainda guarda lembranças desses tempos, história e muita emoção. Bem pertinho dele o Mercado Municipal palco de forte comércio, desde o princípio quando ainda era chamado de mercado dos caipiras, produtores rurais e pescadores comercializavam seus produtos. Atualmente sabores, cultura e muita diversão são o passaporte perfeito para “turistar” pelo mercadão.

Os alunos do Brasílio levantam muitas curiosidades sobre o surgimento da cidade, as tribos indígenas que viviam aqui, os rios encanados que mostram sua vida, e nesta problemática descobrimos que embaixo do Vale do Anhangabaú ponto de encontro, de cultura, versatilidade, shows e muito heterogeneidade, ainda há o Rio Anhangabaú, conhecido pelos nossos ancestrais como rio da assombração. Quantos mistérios ainda existe no Anhangabaú?

Só com um sentimento forte de pertencimento podemos ocupar os espaços que são do povo, cidadãos legítimos que devem valorizar e conhecer sua cidade. Nós alunos e professores estamos fazendo nossa parte, desbravando rios encanados, museus encantados, respirando a história e fazendo história, só a paixão pelo conhecimento é capaz de nós mover a campo para ocupar, prestigiar e melhorar a cidade, que já é nossa!

Por Kalina Elis Leitao Pereira