quinta-feira, 20/09/2018
Agenda do secretário

E.E. São Paulo recebe visita técnica do governador e secretário da Educação

Márcio França e João Cury afirmam que unidade servirá como modelo de educação inovadora para toda rede

Nesta quinta-feira (20), a Escola Estadual São Paulo recebeu a visita técnica do governador Márcio França e do secretário de Estado da Educação João Cury. A unidade passa por obras de restauração e modernização para se tornar um modelo para toda rede estadual de ensino.

Localizada no centro da capital paulista, a escola completou 124 anos no último domingo, 16 de setembro. Ela é considera a primeira escola pública do Estado e passou a abrigar o primeiro ginásio da cidade de São Paulo.

“Viemos visitar o final das reformas da Escola São Paulo. Deu para nós fazermos tudo o que há de moderno para a rede. Queremos que esse padrão sirva de modelo para o resto do Estado”, disse Márcio França.

A unidade receberá inovações estruturais e tecnológicas, como lousa digital, Wi-Fi e laboratórios temáticos. Outra novidade está na reforma do teatro, que dará espaço para receber diversas atrações culturais aos alunos.

“Queremos permitir que os teatros sejam reabertos para aproximar o aluno da rede com cultura de qualidade”, completou França.

Atualmente, a E.E. São Paulo atende 164 alunos do Ensino Médio e, a partir deste ano, a unidade passou a funcionar em tempo integral, no modelo Programa de Ensino Integral (PEI).

Cultura Ensina

O programa recém-lançado pelo Governo do Estado de São Paulo pretende tornar a cultura mais acessível aos estudantes paulistas. Desde então, já foram agendadas 300 mil visitas gratuitas de estudantes e professores a cinemas, espaços expositivos e espetáculos teatrais e musicais.

“A cultura e o mundo das artes estimulam uma série de competências e habilidades socioemocionais que são fundamentais para o aluno lidar com o mundo afora”, explica o secretário da Educação, João Cury.

A iniciativa, contudo, também busca trazer atrações culturais para dentro das escolas. Para isso, a Fundação para Desenvolvimento da Educação (FDE) abriu no fim de julho o chamamento para artistas e grupos interessados em fazer parte do programa.

“Queremos ampliar o repertório dos nossos alunos. Quanto mais cultura tivermos, mais desenvolvida é a nossa sociedade”, reitera o coordenador da FDE, Luiz Sobral.

A ideia, dessa forma, é levar as apresentações às unidades aos finais de semana para que toda a comunidade possa aproveitar a iniciativa.

Sobre o programa, a professora de Língua Portuguesa da E.E. Prof. Aparecido Roberto Tonellotti, Rita de Castro, conta que promover atrações culturais para os jovens é essencial para o ensino. “Quando ele sai da realidade dele e vem para algo que é palpável, têm a tendência de aprender muito mais”, ressalta.