quarta-feira, 30/03/2022
Notícia

Educação SP lança guia de implementação do novo currículo do Ensino Médio para auxiliar outras secretarias

Documento apresenta experiências de planejamento e execução da proposta na rede estadual

Com novo currículo, o Ensino Médio de São Paulo busca valorizar e potencializar aptidões dos estudantes, que estejam mais alinhadas ao projeto de vida individual, para o futuro profissional ou acadêmico. Diante deste processo e com a expertise adquirida, principalmente a partir de 2019, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) lança o Guia de Implementação do Ensino Médio.

O documento apresenta e detalha pontos fundamentais no processo em curso, iniciado na pasta em 2019, com a reformulação do currículo liderada pelo Secretário da Educação do Estado, Rossieli Soares, ex-Ministro da Educação. Desde então, São Paulo manteve a sequência do processo, com consultas públicas e variados processos de escuta junto à comunidade escolar.

Entre outros pontos, o conteúdo traz informações da construção da proposta junto à comunidade escolar, arquitetura de implementação, cronogramas, estruturas dos itinerários formativos, atribuição de aulas, ampliação da carga horária nos períodos diurno e noturno, além de detalhes nos casos de escolas de ensino regular e integral, de 7h e 9h, do Programa Ensino Integral (PEI).

“É um documento que objetiva auxiliar e servir de referência para os demais estados na implementação do Novo Ensino Médio, apresentando o passo a passo às redes de ensino interessadas em conhecer mais o trabalho desenvolvido em São Paulo, do começo dos diálogos até a efetivação da nova proposta curricular. Na prática, a escola passa a estar mais preparada para apoiar qualquer decisão estudantil quando falamos em futuro, independente do caminho que os nossos jovens quiserem seguir, seja dentro ou fora da sala de aula”, resume Rossieli.

Envolvido na construção do Guia, o gestor do Ensino Médio na Seduc-SP, Gustavo Mendonça, lembra que a implementação tem ocorrido de forma gradual. “A 1ª série iniciou a proposta em 2021, com a possibilidade de escolha dos aprofundamentos curriculares. Neste ano letivo, mais de 436 mil estudantes da 2ª série têm acesso a uma nova rotina, com mais tempo de estudo em uma ou duas áreas do conhecimento de maior interesse, conforme as demandas e os diálogos ocorridos em cada escola”, diz.

No total, são 10 possibilidades de aprofundamentos nas quatro áreas do conhecimento – Linguagens, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza – e seis opções integradas entre elas oferecidas aos estudantes. Na prática, todas as escolas oferecem, pelo menos, dois aprofundamentos integrados. Além disso, também há a opção do ensino técnico e profissionalizante, via cursos do Novotec. No total, São 25 opções – quatro delas no Novotec Expresso e 21 no Novotec Integrado, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e o Centro Paula Souza.

Investimento no EM de SP

As escolas estaduais têm recebido investimentos desde o segundo semestre do ano passado, por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). A ação objetiva fomentar o processo de implementação, com destaque às aulas dos Aprofundamentos Curriculares.

Em 2021, foram repassados R$150 milhões para viabilizar a organização dos espaços escolares, como obras estruturais em laboratórios – de informática e Ciências, por exemplo -, além da aquisição de demais itens tecnológicos e materiais pedagógicos. Foram repassados, em média, R$100 por aluno matriculado e outros R$10 mil para cada escola. Assim, o valor médio investido foi de R$44,5 mil, sendo R$10,2 mil para a menor unidade e R$208,1 mil para a maior.

Neste ano, estão previstos mais R$100 milhões para a compra de material de apoio para os estudantes.

Além disso, a Seduc-SP disponibilizou para todas as escolas o Material de Apoio ao Planejamento e Práticas do Aprofundamento (MAPPA) para os professores, que também está disponível na versão online, no portal: novoensinomedio.educacao.sp.gov.br, e intensifica a formação dos professores e professores coordenadores.