terça-feira, 26/03/2019
Boas Práticas

Em Aparecida, projeto usa química e física para melhorar bebedouros

Alunos da EE Professora Paulina Cardoso construíram um otimizador para os bebedouros da escola

O calor de Aparecida, no leste do Estado de São Paulo, há muito incomodava os alunos da E. E. Professora Paulina Cardoso. Os bebedouros da escola já não tinham água gelada o suficiente para atender a todos os alunos nos quentes dias de janeiro e fevereiro, meses de volta às aulas, e inúmeras filas se formavam nas máquinas.

O que poderia ser um problema virou uma solução. Alunos dos 2º e 2º anos do Ensino Médio pensaram numa solução para gelar água que tivesse custo baixo e fosse de fácil aplicação.

Orientados pelo docente de química Fábio Henrique Moreira e pela professora de geografia Mariana Ferrari, o projeto é uma pequena máquina que cria baixas temperaturas dentro do ciclo de circulação da água. Um tubo é colocado dentro do circuito e a água passa morna e sai gelada, podendo ser consumida imediatamente.

“Houve redução significativa da temperatura da água em relação aos filtros comuns e a temperatura ambiente, proporcionando água em temperatura adequada para o consumo”, pontua a diretoria Shirley.

Unindo disciplinas como química, biologia, física, matemática e até português, o trabalho foi feito de forma interdisciplinar entre as salas e as disciplinas envolvidas.

O refrigerador foi um sucesso tão grande que saiu dos muros da escola. Primeiro, o projeto dos alunos Isaac, Tamires e Felipe foi exposto na Exposição Regional de Engenharia e Ciência, a EXPRECI, que ocorreu na UNESP no ano passado. Semana passada, os alunos estiveram na Feira Brasileira de Ciência e Tecnologia, a FEBRACE, para mostrar o projeto. Apesar de não ter saído vencedor, a escola conseguiu matar a sede dos alunos aplicando o conhecimento das aulas na prática.