sexta-feira, 23/08/2019
Avisos de Pautas

Em Novo Horizonte, uma escola conquista resultados acima da média no Pisa-S

Escola Professor Mario Florence estava entre as 46 unidades que fizeram o projeto piloto do Pisa-S, baseado em exame da OCDE 

A Escola Estadual Professor Mario Florence, localizada em Novo Horizonte, faz parte de u seleto grupo: está entre as escolas com resultado acima da média no Brasil para o Pisa-S, o Pisa para Escolas.

O desempenho é parte de um processo que reuniu outras 44 unidades públicas e privadas do Brasil e fizeram o exame como um projeto piloto do Pisa-S, em 2017, por meio da Fundação Lemann. Além da Mario Florence, participaram da avaliação os alunos da escola Professor Shirley Camargo Von Zuben, também na cidade de Novo Horizonte.

Na escola Professor Mario Florence, no campo da leitura, o desempenho médio dos alunos foi de 410,3 pontos, a média do Brasil no Pisa 2015 (o mais recente) foi de 407 pontos. Em matemática, os estudantes conquistaram 378,9 pontos, ligeiramente maior ao desempenho médio de 377 pontos obtidos pelos alunos brasileiros no Pisa 2015. Em ciências, o desempenho médio da escola foi de 391,5 pontos, não sendo significativamente diferente da média de 401 pontos do Brasil.

“São resultados expressivos e que mostram que o Pisa adicionará muito para nossa rede, tanto como forma de melhorar índices como instrumento de melhoria da aprendizagem”, pontua o secretário executivo Haroldo Rocha. Na E. E. Shirley Camargo Von Zuben, os resultados também ficaram na média do Brasil, com exceção do campo da matemática onde os alunos obtiveram 368 pontos, um a mais do resultado do Brasil.

O Pisa foi idealizado pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e aplicado pela primeira vez em 2000 para avaliar o sistema educacional de mais de 80 países, incluindo o Brasil. Enquanto o objetivo do Pisa é fornecer resultados em nível nacional e possibilitar um panorama do sistema de ensino de cada país, o Pisa para Escolas quer produzir resultados individuais das escolas, para embasar políticas públicas locais.

São Paulo será o primeiro estado a aderir ao programa. O exame será aplicado em novembro, desta vez em uma amostra exclusiva da rede estadual de São Paulo. A prova será aplicada em 300 escolas estaduais de São Paulo e envolverá cerca de 25 mil alunos da 1ª série do Ensino Médio.

“Sempre queremos fornecer subsídios para as tomadas de decisão da Secretaria da Educação, com o intuito de aprimorar a educação oferecida pelo estado. O Pisa trará dados importantes para que possamos melhorar ainda mais a aprendizagem ao longo da gestão”, explica Caetano Siqueira, coordenador da COPED.

A prova é digital e contará com 141 itens. Os alunos terão duas horas para responder perguntas de leitura, matemática e ciências, e mais 30 minutos para preencher um questionário contextual.