terça-feira, 05/10/2021
Notícia

Ensino Médio: Educação SP promove encontro formativo de diretores das escolas estaduais

Evento trouxe as principais novidades da proposta. Para o Secretário Rossieli Soares, “foi uma formação necessária no momento de maior transformação da educação"

A sequência do processo de implementação do Ensino Médio de São Paulo na rede paulista foi tema de encontro promovido pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP), em Serra Negra. Na última quinta e sexta-feira (30/9 e 1/10), diretores, dirigentes e demais representantes das 91 Diretorias de Ensino estiveram presentes na programação formativa, que trouxe variados pontos a respeito das principais novidades da proposta, como aprofundamentos curriculares, expansão de carga horária nas turmas dos períodos diurno e noturno, atribuição e cálculo de aulas.

Com foco no protagonismo estudantil, o Ensino Médio de São Paulo promove a atuação ativa da comunidade escolar e o amparo necessário ao Projeto de Vida dos estudantes. Os itinerários formativos atuam na preparação para os desafios do século 21 e na conquista de melhores oportunidades no mercado de trabalho, além de aprofundar os conhecimentos exigidos pelos exames vestibulares.

Segundo a Coordenadoria Pedagógica da pasta, a partir de 2022, todas as 3,7 mil escolas estaduais de ensino médio vão ofertar, para a 2ª série, pelo menos dois itinerários formativos, que contemplem as quatro áreas do conhecimento – Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza. No último dia 24, aliás, os estudantes da 1ª série confirmaram, via Secretaria Escolar Digital (SED) e no aplicativo Minha Escola, a matrícula ou rematrícula para o próximo ano letivo e apontaram o aprofundamento curricular de mais interesse, entre 11 possibilidades – quatro das áreas do conhecimento, seis opções integradas entre elas e uma de formação técnica e profissional, via Novotec Expresso ou Novotec Integrado.

O Secretário da Educação do Estado, Rossieli Soares, falou sobre a importância da formação da equipe escolar. “Foi uma formação necessária no momento de maior transformação da educação. Os diretores são líderes, e ter este momento com eles faz toda a diferença. Apresentamos e debatemos os próximos passos de planejamento para o início do próximo ano letivo. Desde o modelo de atribuição de aulas, o quanto de professores precisaremos contratar, módulo de gestão, repasse de valores e matriz do currículo”, resumiu.

Uma das servidoras presentes, a diretora Maria Madalena Andrade, da Escola Estadual Professora Marilsa Garbossa Francisco, da DE Sul 2, da Capital, comentou que o evento trouxe muitas novidades. “Esse olhar para o ensino médio é essencial. Foi uma possibilidade de reencontrar colegas de todo o Estado para fortalecer as formações e a sensação de voltar à normalidade das atividades presenciais”, disse.

Proposta já atende 460 mil estudantes da 1ª série
O Ensino Médio de São Paulo começou a ser implementado neste ano para os estudantes da 1ª série da rede de ensino estadual, com a Formação Geral Básica (FGB) alinhada à BNCC (Base Nacional Comum Curricular), a possibilidade de escolha dos itinerários formativos, conforme Projeto de Vida, e acesso à formação técnica, via Novotec Integrado, em nove cursos – Administração, Informática para Internet, Desenvolvimento de Sistemas, Logística, Recursos Humanos, Marketing, Serviços Jurídicos, Guia de Turismo e Contabilidade.

Atualmente, são 3.743 escolas de ensino médio em todo o Estado e 1,2 milhão de estudantes entre as três séries.

Ampliação das aulas semanais e variação da carga horária
Até 2019, a carga horária do ensino médio diurno era de 3000h. Em 2020, com a implementação dos três componentes curriculares do Inova Educação no currículo (Eletivas, Projeto de Vida e Tecnologia e Inovação), passou para 3150h. A partir de 2022, o período noturno, atualmente com 2400h, vai para 3000h. O aumento no número de aulas varia conforme o período (diurno, noturno e PEI – Programa Ensino Integral).

No próximo ano letivo, a 2ª série do período diurno passará de 35 para 42 aulas (7 a mais). Enquanto isso, a 1ª série do noturno terá 33 aulas e a 2ª série 34 aulas (hoje, são 25). Em 2023, as 3ª séries também passam pela mudança. O diurno contará com 40 aulas e o noturno com 33 aulas. De acordo com a Seduc -SP, do ponto de vista do professor, todos terão a carga horária mantida e terão oportunidade de ampliá-la, por meio dos itinerários formativos.

No PEI, não há alteração em relação ao número de horas proposto para 2021. São 3870h para as escolas com turno de 9h e 3420h nas escolas com turno de 7h.