segunda-feira, 03/12/2007
Últimas Notícias

Escola de Sertãozinho ganha prêmio de melhor gestão do Estado

Unidade da Secretaria de Estado da Educação foi premiada por órgãos como Unesco Professores que cuidam não apenas da educação, mas da humanização dos estudantes, com aulas em casa, horta comunitária, fanfarra e uma diretoria que interage com toda a comunidade. Por conta disso, a Escola Estadual Doutor Isaías José Ferreira, de Sertãozinho, ficou entre […]

Unidade da Secretaria de Estado da Educação foi premiada por órgãos como Unesco

Professores que cuidam não apenas da educação, mas da humanização dos estudantes, com aulas em casa, horta comunitária, fanfarra e uma diretoria que interage com toda a comunidade. Por conta disso, a Escola Estadual Doutor Isaías José Ferreira, de Sertãozinho, ficou entre as seis melhores escolas do Brasil, a melhor do Estado, no Prêmio Nacional de Referência em Gestão Escolar, uma iniciativa do Conselho Nacional de Secretários de Educação, da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, Unesco e da Fundação Roberto Marinho.

A Fundação Roberto Marinho concede prêmio de R$ 2 mil e uma coletânea de vídeos educativos à escola. Os diretores das 24 escolas selecionadas neste ano receberam diploma de Liderança em Gestão Escolar e uma viagem de intercâmbio para os Estados Unidos (Washington e interior dos EUA), por 15 dias, a partir de 30 de novembro) oferecida pelo Consed e pela Embaixada Americana.

O Prêmio Nacional de Referência em Gestão Escolar tem quatro etapas: a primeira consta da auto-avaliação da escola realizada de forma participativa por um colegiado. A segunda, em âmbito estadual, é a escolha da escola Referência em Gestão Escolar. A terceira é a seleção nacional de seis finalistas. A quarta e última etapa é a escolha da escola Destaque Brasil.

Segundo o diretor da escola, Sidnei Roberto Fernandes, o principal motivo que levou a Isaías José Ferreira ao prêmio é a iniciativa de projetos desenvolvidos com os alunos, entre eles o Lado a Lado (o professor acompanha o estudante fora do horário escolar em diversas atividades educativas e sociais), a horta comunitária, a sala de informática e a fanfarra. “Trabalhamos não apenas o estudante, mas a pessoa que estamos formando” diz o diretor, responsável por 900 alunos.

Para a secretária de Estado da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, exemplos como o da escola de Sertãozinho merecem apoio. “Iniciativas como esta precisam ser valorizadas e podem servir como referência para outras escolas”, afirma.