sexta-feira, 03/12/2021
Notícia

Escola Estadual de Campinas mobiliza comunidade em mutirão de vacinação contra Covid-19

Ação aconteceu nesta quinta-feira (2) em parceria com a prefeitura local

Nesta quinta-feira (2), a Escola Estadual Maria Julieta de Godoi Cartezani, em Campinas, organizou, em parceria com a prefeitura, um mutirão de vacinação contra Covid-19 para estudantes de 12 a 17 anos e comunidade local. A ação aconteceu pela manhã das 8h às 12h, e pela tarde 13h às 17h. Foram cerca de 305 doses aplicadas, sendo que 100 foram em estudantes (1ª e 2ª).

“O Estado de São Paulo foi pioneiro na vacinação dos profissionais da educação e para o público dos 12 aos 18 anos, que foi uma luta do secretário Rossieli Soares para um retorno às aulas mais seguro. Muitos estudantes agora estão tomando a segunda dose, trazendo mais tranquilidade para frequentarem a escola”, avalia a Dirigente de Ensino de Campinas Leste, Patrícia Adolf Lutz.

A diretora da escola, Melissa Picarelli, conta que muitos alunos estavam com muitas dúvidas e até medo da vacina e os profissionais da escola esclareceram sobre os benefícios da imunização. “Nosso papel é fazer com que os alunos se sintam seguros em vários aspectos, tanto no pedagógico quanto no psicológico com as demandas emocionais trazidas pela Covid-19. Essa ação em parceria com a Unidade Básica de Saúde trouxe segurança para os estudantes. Convidamos também a comunidade do entorno que é muito participativa e acredito que a ação foi um sucesso”.

A enfermeira coordenadora do Departamento de Vigilância Sanitária, Christiane Sartori, explica que foi feito um levantamento com as escolas das diretorias Leste e Oeste e, das 99 escolas que responderam, mais de 23 mil alunos não tinham sido vacinados com a primeira dose e 14 mil não tinham a segunda dose.

“Essa ação tem o objetivo de aumentar a cobertura vacinal no público-alvo de 12 a 18 anos e de 19 a 24 anos que são as faixas etárias com menor cobertura no município e no Estado. O fato da vacinação ser feita na escola facilita pois, a autorização pode ser enviada com antecedência, os pais não precisam ir com os filhos na UBS e ainda aproveitamos para vacinar algum familiar que não tenha sido. Esta foi uma estratégia positiva de chegar mais perto dos alunos e inclusive agendar a segunda dose. É uma população suscetível que precisa ser vacinada para ter o controle da pandemia no próximo ano”, esclarece Christiane Sartori.

Esther Souza Vidal, 16 anos, aluna da 1ª série do ensino médio, tomou a segunda dose e disse que ficou mais tranquila porque seus pais são do grupo de risco. Eduardo Cordeiro, 17 anos, da 2ª série, já estava com a segunda dose agendada, mas conseguiu adiantar a imunização no dia de hoje. “Foi bom também porque aproveitei para trazer minha irmã para tomar a primeira dose”, disse.

“A nossa UBS sempre busca se aproximar dos adolescentes da região que procuram muito pouco nossos serviços e aproveitamos para ampliar para a comunidade. Aproveitamos para fazer esta parceria com a escola que é vizinha e sempre muito solícita a nossas atividades”, conta Janaína Franco, coordenadora da UBS Tancredo Neves.