quarta-feira, 26/03/2014
Ensino Integral

Feira de ciências e tecnologia da USP premia projeto de alunos da rede estadual

Iniciativa foi desenvolvida por grupo de escola do Novo Modelo de Tempo Integral, de Indaiatuba

Uma das equipes de “inventores” de escolas estaduais paulistas que disputaram a final da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), organizada pela USP, foi premiada pela Ricoh Americas Corporation, com certificado de “Reconhecimento Internacional” para pesquisa sustentabilidade.

Com o título Proteja-Se Contra o Fogo de Forma Econômica e Sustentável, os alunos da da E.E. Profa. Suely Maria Cação Ambiel Batista, de Indaiatuba, se destacaram e levaram o prêmio para casa. O projeto do grupo propõe o uso de clara de ovo e bicarbonato de sódio para impedir o alastramento de chamas de forma econômica e sustentável.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

“Além de não alastrar as chamas, nos testes que desenvolvemos, essas substâncias não alteraram a cor do tecido. Nossa ideia é dar continuidade ao projeto e para a pesquisa”, afirma um dos integrantes da equipe, Bruno Galbiati.

Outros três projetos da rede estadual também se destacaram na feira, que contou com a apresentação de 331 trabalhos de todo o País. Como foi o caso da pomada cicatrizante natural e do cosmético de caranguejo, projetos da E.E. Jardim Riviera, de Santo André, e da bengala com GPS, desenvolvida pelos alunos da E.E. Ilza Irma Moeller Coppio, de São José dos Campos.

Todos os projetos foram desenvolvidos durante o período de aulas e são de autoria de jovens cientistas entre 16 e 18 anos, estudantes das escolas do Novo Modelo de Ensino Integral.

Destaque

Além da participação na final da feira da USP, os trabalhos dos alunos das escolas estaduais têm ganhado espaço nos congressos científicos do Brasil e do mundo. Em junho, por exemplo, o Brasil será representado pela equipe da E.E. Ilza Irma Moeller Coppio, de São José dos Campos, no Genius Olympiad, em Nova Iorque.

Os estudantes são autores do projeto “Sinal Verde”, grande vencedor da Feira de Ciências das Escolas de Tempo Integral, e que prevê a implantação nos semáforos de um sistema sustentável de geração de energia, o que evitaria “panes” após dias de tempestades.

Está garantida ainda a participação dos alunos paulistas na Mostra Brasileira de Ciência e Tecnologia (Mostratec), no Rio Grande do Sul, e na Feira Nordestina de Ciências e Tecnologia (Fenecit), em Pernambuco, eventos marcados para o segundo semestre deste ano e que também terão as obras científicas 100% desenvolvidas nas escolas estaduais.

A produção científica faz parte do currículo e das disciplinas eletivas ministradas nas 182 escolas com o Novo Modelo de Tempo Integral existentes atualmente na rede estadual e que atendem 55 mil alunos.