terça-feira, 09/07/2019
Lazer

Férias + feriado = Que tal conhecer o Obelisco de São Paulo?

Obra é patrimônio histórico e cultural e pode ser visitada gratuitamente

Desde o dia 28 de junho os estudantes da rede pública estão de férias, assim como professores e servidores da Educação. E os pais? O Feriado da Revolução Constitucionalista de 1932 é um dos mais tradicionais feriados de São Paulo – e também marca uma oportunidade de folga para os pais dos estudantes.

O feriado é a celebração da Revolução Constitucionalista de 1932, um dos marcos na história do Estado. Para homenagear os mortos nessa revolta foi construído o Obelisco Mausoléu aos Heróis de 32, também conhecido como Obelisco do Ibirapuera ou Obelisco de São Paulo.

A obra é patrimônio histórico e cultural, tombado pelo CONDEPHAT, e abriga os corpos dos estudantes Mário Martins de Almeida, Euclides Bueno Miragaia, Dráusio Marcondes de Sousa e Antônio Americo de Camargo Andrade, a famosa sigla MMDC, mortos durante o combate. Os túmulos de outros 713 ex-combatentes também estão no local.

O jardim que abriga o monumento aponta para a avenida 23 de Maio, exatamente a data em que os quatro estudantes revolucionários foram mortos.

Obelisco Mausoléu aos heróis de 32

O Obelisco Mausoléu aos Heróis de 32 pode ser visitado e conhecido no dia de hoje. Ele fica aberto de segunda-feira à domingo, das 10 às 16 horas, e é gratuito. É uma ótima opção de passeio cultural para as férias!

Mais sobre a Revolução de 32

Dia 09 de julho marca o início de uma revolta ocorrida no estado de São Paulo contra o governo de Getúlio Vargas, a chamada Revolução Constitucionalista de 1932

As elites paulistas buscavam reconquistar o comando político e pediam a convocação de eleições. O movimento foi uma resposta paulista à Revolução de 1930, a qual acabou com a autonomia dos estados garantida.

No dia 23 de maio de 1932, aconteceu um ato político a favor de eleições, no centro de São Paulo. Com forte repressão, um grupo de estudantes morre – os estudantes Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo. O fato revolta a sociedade paulista e as iniciais dos jovens – M.M.D.C. – tornam-se um dos símbolos do movimento.

No dia 09 de julho começam as revoltas. Liderada pelo interventor do estado – cargo equivalente ao de governador – Pedro de Toledo (1860-1935), os paulistas fizeram grande campanha usando jornais e rádios e conseguiram mobilizar mais de 200 mil voluntários, sendo 60 mil combatentes.

Apesar da derrota no campo de batalha, politicamente o movimento atingiu seus objetivos. A luta pela constituição foi fortalecida e, em 1933, eleições foram realizadas colocando o civil Armando Sales (1887-1945), como Governador. Também foi o último conflito armado que aconteceu no país.