quinta-feira, 24/08/2017
Crédito: A2img / Mastrangelo Reino
A Escola Que Queremos

África e suas múltiplas culturas é tema de campeonato interclasses em escola de Guarulhos

O projeto faz parte do Plano Político Pedagógico e se tornou a principal tarefa multidisciplinar

Era uma terça-feira quente, que fazia com que as pessoas pensassem estar no Saara, ou numa Savana. O sol cobria Guarulhos e esquentava a tudo e a todos, deixando claro que naquele dia estava disposto a colaborar com a comunidade da E.E. Francisco Milton de Andrade. O Campeonato do Saber, projeto interdisciplinar que faz cada classe disputar pela primeira colocação no pódio, tinha como tema de sua 4ª edição o título “África, berço da humanidade, território de múltiplas culturas e contrastes sociais”.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Além do sol que queimava os mais ousados, que não procuravam abrigo no pátio, outros fatores colaboravam para que o clima do ambiente nos levasse ao continente africano. Os alunos prepararam durante dois meses cartazes, bandeiras de diversas nações, maquetes, ensaiaram danças típicas de algumas regiões africanas, escreveram poesias e as leram para todos os presentes no pequeno palco da escola. Como se não bastasse, vários fizeram questão de se caracterizarem com roupas afro, o que tornou aquela festa ainda mais especial.

A cada apresentação as salas vibravam, aplaudiam seus colegas e aguardavam ansiosamente as notas que seriam apresentadas pelo júri formado por professores, funcionários da unidade escolar e convidados.

É nesse clima que o professor Renato Souza nos recebe e separa um tempo para relatar que durante o desenvolvimento dos trabalhos, “o interessante é o envolvimento dos alunos a respeito de como eles produzem. Dessa interação… a comunicação deles melhora e muito. E eles se interessam bastante, eles buscam informações. Então todas as informações que eles apresentam durante o trabalho foram coisas que eles buscaram. Muitas coisas eles nos apresentam que nem nós sabíamos e eles acabam nos apresentando”, esclarece o educador, que é um dos coordenadores do projeto.

O projeto faz parte do PPP (Plano Político Pedagógico) da E.E. Francisco Milton de Andrade, e se tornou a principal tarefa multidisciplinar da escola guarulhense. Bastante aguardado pelos professores e, principalmente, pelos alunos, o Campeonato do Saber praticamente fecha o calendário escolar do primeiro semestre do ano letivo. Nesse ano, em especial, a atividade conquistou a todos os alunos por mesclar o estudo aprofundado de temas complexos, como os contrastes sociais do continente africano, e as atividades lúdicas pensadas pelos organizadores, como o Festival de Dança, o The Voice FMA e o Você é o Repórter.

Em poucas palavras, o Campeonato do Saber é uma grande gincana cultural, onde os vencedores são as turmas que somam a maior pontuação. Os alunos são premiados com medalhas e diplomas. “É fala dos próprios alunos que, no Campeonato do Saber, eles aprendem temas complexos, brincando. E é justamente esse o objetivo”, declara o professor de História, Edson Oliveira, idealizador do projeto.

Na direção da escola Francisco Milton de Andrade desde 2002, a diretora Elaine Lanete ressalta a importância do campeonato no ensino-aprendizagem, que é capaz de modificar positivamente a cultura escolar e a forma como os alunos passaram a se interessar pelos estudos e por temas mais complexos da escola.

Ela enfatiza que “essa atividade é a ‘menina dos olhos’ da escola. É um projeto que valoriza o aluno e as turmas que se dedicam aos estudos. Melhora o relacionamento professor/aluno, com as atividades lúdicas do projeto, melhora a oralidade e a escrita, além melhorar a autoestima deles, principalmente os alunos e as turmas que se destacam a cada edição, que saem vencedoras do Campeonato do Saber e desfilam com orgulho suas medalhas no pescoço.