quinta-feira, 02/07/2020
Pais e Alunos

Neto e avó acompanham juntos às aulas dos professores da rede em Araraquara

Aos 78 anos, Ana Cristina de Oliveira Amicci sente saudades de estudar e assiste às aulas à distância para acompanhar o neto Vitor Hugo

Ana Cristina de Oliveira Amicci, de 78 anos, sempre amou estudar, mas a vida não lhe ofereceu muitas oportunidades. Em tempos de isolamento social e suspensão das aulas presenciais, ela começou a acompanhar os conteúdos com o neto Vitor Hugo, que estuda na Escola Estadual Pedro José Neto, em Araraquara.

Foi durante uma aula de matemática do professor Aparecido Cavalcante de Souza, que Ana Cristina contou o seu amor pelos estudos.

“O Vitor pediu para ficar por último na aula e eu perguntei se era para tirar alguma dúvida. Ele disse que a avó dele que queria agradecer porque ela estava amando as aulas online e estudando junto com ele. Foi emocionante”, ressalta o docente.

“Eu estudei na Escola Estadual Antônio Lourenço Correia nos quatro anos do primário e naquele tempo já recebíamos o diploma nesta fase. Depois recebi uma cartinha do Senac para participar de um preparatório para o ginásio por um ano. O tempo passou, estava com 27 anos e uma vontade enorme de estudar. Eu era doméstica e a filha da minha patroa me ajudou. Faltavam dois meses para o Vestibulinho do industrial. Eu fiquei entre os 10 alunos que passaram, estudei 4 anos, me casei e parei de estudar”, lembra Ana Cristina.

Estudante até a oitava série, dona Ana diz se lembrar de muita coisa, mas ressalta que é sempre bom aprender mais e fazer o que ama, que é estudar.

“Eu amo português e matemática. Eu tenho saudade de estudar, acho que os meus professores devem ter hoje a mesma idade que eu. Sempre tirei notas altas, guardo minhas provas até hoje em uma caixinha”, salienta a avó.

Para o neto está sendo divertido, já que com as aulas remotas ele ganhou uma companheira de estudos. “Tem sido muito legal, minha avó nunca teve oportunidade de estudar, e ela começou comigo e se interessar e a participar das aulas. Ela me ajuda bastante”, diz Vitor Hugo Amicci de Souza.