segunda-feira, 07/02/2022
Notícia

Rede estadual abre em quatro dias mais de 3,7 mil novas vagas de 1º ano na capital

O aumento da demanda se deu por crianças que não estavam matriculadas no ensino infantil no ano anterior e vindas da rede particular

Somente nos últimos quatro dias (4, 5, 6 e 7 de fevereiro) a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) criou 3.720 mil novas vagas para o 1º ano do ensino fundamental da capital. Só hoje, foram 1020 vagas.

Em 2021, a rede estadual finalizou o ano letivo com 65.666 alunos matriculados nesta etapa. Hoje, já são 71.035 alunos matriculados, ou seja, 5.369 vagas a mais na rede estadual de 2021 para o início de 2022.

Esta demanda maior é por conta de crianças que não estavam sequer matriculadas no ensino infantil (creches e pré-escolas) e agora no 1º ano do ensino fundamental buscaram matrículas na rede pública, o que gerou a necessidade de novas vagas, além da migração da rede particular.

Conforme artigo 211, § 2º da Constituição Federal, o ensino fundamental é de atuação prioritária do município: “Os Municípios devem atuar prioritariamente no ensino fundamental e na educação infantil”. Com isso, cabe às prefeituras fornecerem a educação de base, qual seja, creches (até 3 anos), pré-escola (educação infantil; 4 e 5 anos) e o ensino fundamental (de 6 a 14 anos).

Porém, de nada vale a Seduc-SP a disputa responsabilidade, que nada faz além de prejudicar a Educação, por isso na capital o atendimento do ensino fundamental está em 62% na responsabilidade do Governo do Estado.

 A Pasta continuará abrindo vagas até que todo o déficit seja suprimido, seja abrindo novas turmas em espaços como salas de leitura e informática ou aumentando o módulo de atendimento por turma em 10%, passando de 30 para 33 estudantes por sala.