segunda-feira, 14/03/2005
Últimas Notícias

Secretário abre Grande Ato pela Educação em Ferraz de Vasconcelos

O Programa de Alfabetização e Inclusão foi renovado pelo terceiro ano na região Mais de 8 mil pessoas participaram do Grande Ato pela Educação, no Ginásio de Esportes de Ferraz de Vasconcelos, no último sábado, dia 12. O objetivo do encontro foi renovar a parceria do Programa de Alfabetização e Inclusão (PAI) com o Conselho […]

O Programa de Alfabetização e Inclusão foi renovado pelo terceiro ano na região

Mais de 8 mil pessoas participaram do Grande Ato pela Educação, no Ginásio de Esportes de Ferraz de Vasconcelos, no último sábado, dia 12. O objetivo do encontro foi renovar a parceria do Programa de Alfabetização e Inclusão (PAI) com o Conselho Comunitário de Educação Cultura e Ação Social da Grande São Paulo (CCECAS): Educar para Mudar.

O secretário de Estado da Educação, Gabriel Chalita, o prefeito Jorge Abissamra, o padre Ticão, o presidente do CCECAS, Ricardo de Oliveira Silva, e líderes comunitários comemoraram o sucesso da parceria pelo terceiro ano consecutivo.

Desde o lançamento do PAI, em 2003, até hoje mais de 24 mil pessoas já foram alfabetizadas na região. O CCECAS mantém 500 classes para o projeto e cerca de 12,5 mil alunos por ano.

O secretário Gabriel Chalita comemorou a marca de 200 mil pessoas alfabetizadas há mais de oito anos pelo governo do Estado. “A meta é não deixar ninguém fora da escola, seja criança, jovem ou adulto. Como exemplos, temos o programa Escola da Juventude, com aulas nos fins de semana, o programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) à noite, o PAI e o Escola da Família”. Ainda acrescentou: “A gente só modifica o mundo por meio da educação e não tem idade para aprender”.

A aluna Maria das Graças, de 54 anos de idade, concorda com a afirmação do secretário. Através do programa de alfabetização, ela conseguiu voltar a estudar e concluir o Ensino Fundamental. “As aulas eram à noite em uma escola próxima à minha casa, o que facilitou a minha vida”, disse.

Outra que conseguiu se capacitar em Magistério pelo projeto e leciona há quatro anos é a professora Maria do Socorro, de 46 anos. Eu tinha apenas Ensino Médio e foi graças ao programa que consegui me capacitar em Magistério para poder dar aulas. Hoje sou contratada como voluntária pelo projeto ‘Educar pra Mudar’ e recebo uma ajuda de custo de R$ 200 por sala de aula”. Maria do Socorro tem sob sua coordenação duas salas de aula e com isso ganha mensalmente R$ 400.

Segundo a professora, cada ciclo dura dois anos (1a a 4a e de 5a a 8a série), com duas horas de aulas diárias. “Em quatro anos o aluno consegue o seu diploma de Ensino Fundamental”, concluiu.

O PAI pretende, num prazo de quatro anos, alfabetizar cerca de 700 mil adultos em todo o Estado. Já fizeram o curso de alfabetização 150 mil jovens e adultos e, até agora, foram investidos R$ 545 mil. Atualmente o projeto tem parceria com instituições de ensino superior, sindicatos, ONGs, conselhos comunitários de educação, institutos e o programa Escola da Família.

Paola Martins