quarta-feira, 19/08/2020
Sociedade

Universidade Estadual de Campinas fará parte do Comitê Segurança do Futuro

Grupo temático deve elaborar um amplo estudo para buscar soluções inovadoras e viáveis para a segurança pública

A coordenadora da Secretaria de Vivência dos Campi (SVC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), professora Susana Durão, participou na última quinta-feira (13) da criação do Comitê Segurança do Futuro, em São Paulo. Ela representou o reitor Marcelo Knobel na iniciativa organizada pelo Movimento AR, sob coordenação do reitor José Vicente, da Universidade Zumbi dos Palmares.

O evento contou com a participação do general João Camilo Pires de Campos, secretário da Segurança Pública, que declarou se tratar de um grande passo para a construção de pontes que levam a soluções.

O Comitê Segurança do Futuro deve elaborar um amplo estudo para buscar soluções inovadoras e viáveis para segurança pública. A coordenadora da SVC explica que a ideia é realizar reuniões periódicas com os representantes das oito universidades paulistas convidadas para compor a iniciativa e apresentar, no fim de um ano, um relatório com as principais propostas.

Susana Durão classificou como um momento significativo a formalização do comitê. “Foi um evento muito simbólico porque marca o início de uma intervenção da academia na ação policial. O objetivo é propor mudanças nos protocolos de ação da polícia voltadas para a comunidade negra”, comemora. A coordenadora relata ainda que um próximo encontro será com representantes da segurança privada.

Mudanças

Como líder do Movimento AR, o reitor José Vicente comemorou a formalização da iniciativa. “A formação deste comitê com o alto comando de segurança do estado e as principais universidades do Brasil é uma demonstração de que estamos lutando no sentido certo para combater a intolerância racial e alcançar as mudanças de abordagem policial que sugerimos”, destaca o reitor.

O Movimento AR é uma mobilização voluntária, com propósito de realizar mudanças e transformações sociais por meio de ações efetivas de combate ao racismo, ao preconceito e à discriminação racial contra negros. O movimento é liderado pela Universidade Zumbi dos Palmares e pela Ong Afrobras.