quarta-feira, 11/10/2006
Últimas Notícias

Visitas de alunos de escolas estaduais ao Jardim Botânico e Zoológico da Capital serão transformadas em aulas ao ar livre

Idéia começa a tomar forma com assinatura de convênios realizada nesta quarta-feira, dia 11 Saber mais sobre plantas, vegetação nativa e também sobre diferentes espécies de animais. Atividades que se tornarão ainda mais atraentes e diferenciadas após a assinatura dos convênios que o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação, firmaram nesta quarta-feira, […]

Idéia começa a tomar forma com assinatura de convênios realizada nesta quarta-feira, dia 11

Saber mais sobre plantas, vegetação nativa e também sobre diferentes espécies de animais. Atividades que se tornarão ainda mais atraentes e diferenciadas após a assinatura dos convênios que o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação, firmaram nesta quarta-feira, dia 11, com o Jardim Botânico e o Parque Zoológico de São Paulo. A solenidade teve a presença do governador Cláudio Lembo, e da secretária de Estado da Educação, Maria Lucia Vasconcelos.

A natureza como testemunha

A primeira assinatura foi ao ar livre, no Jardim Botânico, na entrada da Trilha da Nascente do Riacho Ipiranga, e teve a participação do diretor geral do Jardim Botânico, Luiz Mauro Barbosa. Depois foi a vez da assinatura no Parque Zoológico, com a presença do diretor presidente da Fundação Zoológico, João Batista da Cruz.

Estudos e capacitação

De acordo com a Assessoria Jurídica da Secretaria, a parceria não deve gerar custos para o Estado. Os detalhes que irão definir como a idéia será colocada em prática serão discutidos futuramente entre representantes da Coordenadora de Estudos e Normas Pedagógicas (CENP) e grupos de trabalho das duas instituições parceiras. Entre os pontos a serem definidos estão a formação de monitores para receber os visitantes, e o atendimento a professores e alunos.

Sobre o Jardim Botânico

Criado em novembro de 1928, possui 360.000 m2 de áreas verdes e está localizado no Parque Estadual da Fonte Ipiranga. Trata-se de uma reserva com remanescentes de Mata Atlântica, e que guarda as nascentes do Riacho Ipiranga.

A área serve de abrigo a animais selvagens como macacos, bichos-preguiça, ouriços, gambás, maritacas e garças, entre outros. A entrada do Jardim é formada por uma alameda de palmeiras jerivás, com bancos e pérgulas com trepadeiras floríferas. Há ainda um lago com ninféas – plantas aquáticas da família da vitória-régia.

Sobre a Fundação Zoológico

O Zôo de São Paulo foi criado em junho de 1957, no governo Jânio Quadros. Desde a abertura, em 1958, o local recebeu mais de 75 milhões de visitantes. Em novembro de 2004, a Fundação Parque Zoológico de São Paulo, vinculada à Secretária de Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo, passou para a administração da Secretaria do Meio Ambiente.

Em maio de 2001, a área antes ocupada pela empresa “Simba Safári” foi reincorporada à Fundação Parque Zoológico de São Paulo , sendo reaberta ao público como “ Zôo Safári” , em 5 de junho daquele mesmo ano.

Ocupando uma área de 824.529 m² de Mata Atlântica, o Parque abriga as nascentes do histórico riacho Ipiranga, cujas águas formam os lagos que acolhem exemplares de aves de várias espécies exóticas nativas, além de aves migratórias. Hoje, a população global ultrapassa os 3.200 animais cadastrados, que representam 102 espécies de mamíferos, 216 de aves, 95 de répteis, 15 de anfíbios e 16 espécies de invertebrados.

Aprendendo com a natureza

O parque promove atividades de lazer e conscientização do público sobre a diversidade da fauna. Faz contatos técnico científicos com outros centros de pesquisa, entre eles os Institutos Butantã, Biológico de São Paulo e Adolfo Lutz. A Fundação firmou convênios com as universidades de São Paulo, “Júlio de Mesquita Filho” UNESP, Federal de Campina Grande (PB), Estadual de Londrina (PR) e Federal de Santa Maria (RS).