quarta-feira, 09/10/2013
Concursos

Confira retificações e edital complementar para concurso que selecionará 59 mil docentes

Retificação traz informação importante para candidatos no que diz respeito à apresentação de títulos

Atenção, candidatos! A Educação divulgou edital complementar e retificações das instruções especiais para o concurso que selecionará 59 mil novos professores para a rede estadual de ensino paulista. Vale lembrar que as inscrições para o certame seguem abertas até o dia 16 de outubro.

– Faça aqui a sua inscrição

A retificação traz informações importantes para os candidatos no que diz respeito à apresentação dos títulos. Os documentos que comprovam a formação e cursos de extensão serão utilizados para calcular a classificação final do candidato.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

De acordo com a nova orientação, os candidatos deverão imprimir e preencher o formulário para envio de títulos, disponível no site da Fundação Getúlio Vargas, e enviá-lo para a fundação, juntamente com os documentos que comprovem a existência dos títulos, até o dia 21 de outubro.

O candidato que não realizar o envio dos documentos até a data limite estipulada, receberá nota zero na etapa de avaliação de títulos. Não será possível enviar pedidos de reconsideração posteriores.

Os demais tópicos das instruções especiais, publicadas no Diário Oficial do Estado do dia 26 de setembro, não sofreram alterações.

– Acesse aqui as instruções especiais para os candidatos

– Acesse aqui a retificação das instruções especiais

Edital complementar

Já o edital complementar trata sobre as referências bibliográficas, habilidades e competências requeridas na prova, que deve acontecer no dia 17 de novembro.

O exame será aplicado nos município-sede das 91 diretorias de ensino, distribuídas pelo Estado. O local para a realização da prova deve ser indicado no momento da inscrição. As vagas também serão disponibilizadas regionalmente, por isso cada candidato deve indicar pelo menos uma região onde gostaria de trabalhar. Os órgãos regionais, municípios e bairros abrangidos podem ser consultados no edital.

– Confira aqui o edital do concurso

– Confira aqui o edital complementar

A avaliação, que será composta por 80 questões objetivas e duas dissertativas, deve acontecer em dois períodos, divididos para avaliação de conhecimentos pedagógicos e conhecimentos específicos.

Já estão disponíveis para a consulta dos candidatos as referências bibliográficas, habilidades e competências requeridas. Acesse aqui a resolução.   

Inscrições

Os interessados em participar do concurso público que oferecerá 59 mil vagas para professores, que atuarão nas escolas estaduais de São Paulo, devem se inscrever pela internet até às 23h59 do dia 16 de outubro. A taxa de inscrição é RS 29,00.

Podem participar do certame os professores que de Educação Básica II, ou seja, aqueles que atuam nos anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio. Os educadores devem lecionar disciplinas de Arte, Biologia, Ciências Físicas e Biológicas, Educação Física, Física, Filosofia, Geografia, História, Língua Espanhola, Língua Inglesa, Língua Portuguesa, Matemática, Química, Sociologia ou atuar nas áreas da Educação Especial.

Jornada

Os candidatos interessados em participar do certame poderão optar entre dois tipos de jornada, que estarão disponíveis no momento da escolha de vagas. A primeira delas, a jornada reduzida, é composta por 9 aulas por semana. Já a segunda, a jornada inicial, é composta por 19 aulas por semana. O número de aulas poderá ser ampliado nas atribuições de aulas. Saiba mais sobre a política salarial da Educação aqui.

Chamamento

No início do próximo semestre letivo, já serão chamados 20 mil profissionais. Vale destacar que, desde janeiro de 2011, já foram nomeados mais de 34 mil docentes. Com a abertura do novo concurso, serão 93 mil professores ingressando na rede estadual apenas nesta gestão. 

“A ampliação da atuação dos professores efetivos na rede estadual de ensino é uma das prioridades desta gestão. O maior concurso da história da educação de São Paulo faz parte deste compromisso, que contempla ainda uma política salarial prevista em lei e a materialização de um plano de carreira inédito, construído em conjunto com os nossos servidores”, afirma o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.