sexta-feira, 03/09/2004
Últimas Notícias

8 de setembro – Dia Internacional da Alfabetização

Secretaria da Educação comemora data com projeto para a alfabetização de 700 mil jovens e adultos, além da capacitação contínua de educadores para o ensino de leitura e escrita Neste dia 8 de setembro o mundo todo comemora o Dia da Alfabetização. A data foi instituída em 1970 pela Unesco e, a cada ano, governantes […]

Secretaria da Educação comemora data com projeto para a alfabetização de 700 mil jovens e adultos, além da capacitação contínua de educadores para o ensino de leitura e escrita

Neste dia 8 de setembro o mundo todo comemora o Dia da Alfabetização. A data foi instituída em 1970 pela Unesco e, a cada ano, governantes de todo o mundo discutem os caminhos para erradicar o analfabetismo.

A alfabetização é um forte instrumento de inclusão social. De acordo com o IBGE, existem no Brasil cerca de 15 milhões de analfabetos com 15 anos ou mais, o que representa 11,8% da população. No Estado de São Paulo, a taxa de analfabetismo é de 5,9%. O grande peso do analfabetismo encontra-se na faixa dos 50 anos e mais, representando 63,2% do total de analfabetos do Estado.

“O processo de alfabetização de adultos é política pública fundamental para inclusão. Os horizontes se ampliam quando as letras vão ganhando forma, sentido, significado. Ninguém pode ser deixado para trás porque não teve a oportunidade de estudar na infância ou adolescência”, afirma o secretário da Educação, prof. Gabriel Chalita.

Por meio de projetos voltados à alfabetização, a Secretaria de Estado da Educação, vem trabalhando continuamente para reduzir esses números. Os projetos PAI (Programa de Alfabetização e Inclusão) e o Letra e Vida são exemplos que mostram resultados positivos e concretos para a redução dos índices.

PAI (Programa de Alfabetização e Inclusão)

Lançado no primeiro semestre de 2003, o PAI (Programa de Alfabetização e Inclusão) tem como meta alfabetizar 700 mil jovens e adultos. Para isso, conta com mais de uma centena de instituições parceiras e a cada semestre atende a cerca de 50 mil alunos que não tiveram acesso à escolarização formal na idade própria. Desde de sua implementação, o PAI recebeu investimentos na ordem de R$ 14 milhões.

O Estado conta hoje com duas mil salas com até 25 estudantes em cada uma delas. Os conteúdos estão centrados na alfabetização em língua portuguesa (domínio de habilidades mínimas de leitura e escrita baseadas na função social da língua) e na alfabetização em matemática (domínio das operações fundamentais, resolução de problemas simples, algoritmo).

Parcerias

São 117 instituições de ensino superior filiadas ao SEMESP (Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo) que contribuem para a realização do programa, assim como os convênios firmados com o IBEAC (Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário), Comunidade Kolping São Francisco de Guaianazes, CCECAS (Centro Comunitário de Educação, Cultura e Ação Social da Grande São Paulo), e o Instituto Tecnológico Diocesano Santo Amaro, empresas representadas pelo CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola) e o Rotary de Araçatuba.

O Programa Escola da Família é o mais novo parceiro do PAI, abrindo diversas turmas durante os finais de semana, quando todas as escolas estaduais permanecem abertas à comunidade.

Letra e Vida

O programa de Formação de Professores Alfabetizadores é um curso destinado a professores que ensinam a ler e escrever no Ciclo I do Ensino Fundamental (1ª a 4ª série). O curso também está aberto a outros profissionais da educação que pretendem aprofundar seus conhecimentos sobre o ensino da leitura e da escrita.

O Letra e Vida objetiva contribuir para que tanto as diretorias de ensino, quanto as unidades escolares sintam-se responsáveis pela aprendizagem de todos os seus alunos. Desde abril de 2003, cerca de 20 mil professores de todo o Estado – o que equivale a 50% do corpo docente de 1ª a 4ª série – estão participando da capacitação. A meta é que 100% dos professores concluam o curso até dezembro de 2006. Os investimentos no Letra e Vida chegam a R$ 12 milhões e, com isso, 700 mil alunos já foram beneficiados.