sexta-feira, 27/11/2020
Boas Práticas

Alunos criam perfis em redes sociais para compartilhar conteúdos educacionais durante a pandemia

Responsáveis pelas contas de studygrammers visitaram os estúdios do Centro de Mídias SP e conversam com o secretário de educação

Com a pandemia do coronavírus (Covid-19) e a necessidade das aulas mediadas por tecnologia, professores, escolas e até mesmo a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo tiveram que se adaptar à nova realidade imposta para poder ensinar. Mas este esforço não partiu apenas dos educadores, alunos da rede estadual também passaram a utilizar a tecnologia para que eles mesmos pudessem compartilhar os conteúdos pedagógicos durante a pandemia. Essas contas gerenciadas por alunos com resumos de estudos e das aulas são chamadas de Studygrammers, que têm origem do verbo estudar em inglês, study, e o gram da plataforma utilizada, o Instagram.

A professora Sara Sousa que ministrou aulas de Projeto de Vida no Centro de Mídias de São Paulo (CMSP) explicou como surgiram estes perfis, que além de compartilhar conhecimento, também desenvolvem o protagonismo estudantil. “Incentivamos os alunos a exercer o protagonismo postando suas atividades e resumos das aulas para, de forma colaborativa, ajudarem outros alunos a acompanharem as aulas. Então, de forma espontânea, vários alunos criaram perfis no Instagram para compartilharem suas dicas de estudo e resumos das aulas. Fiz uma pequena pesquisa pelo Google Forms para saber a quantidade de perfis deste gênero e tive a resposta de aproximadamente 100 Studygrammers”, explicou.

Estes perfis estão espalhados por todo o estado de São Paulo e nesta semana nove tiveram a oportunidade de conhecer os estúdios do Centro de Mídias SP, na capital, e de conversarem pessoalmente com o secretário de educação, Rossieli Soares. “Estes estudantes estão engajando e até mesmo ajudando outros alunos durante este período de aulas mediadas por tecnologia. Por inciativa própria e com protagonismo eles se tornaram os Embaixadores do CMSP”, afirmou o secretário.

Uma das escolhidas foi Isabela dos Santos Melo, aluna do 9º ano da escola estadual professor Hélio Polesel, em Guarulhos. “Durante 8 meses o Centro de Mídias da Educação do Estado de São Paulo foi a minha sala de aula. E durante esse tempo, eu queria trazer mais alunos nessa nova experiência de estudar pelo meio virtual, foi aonde eu comecei como studygrammer. Eu tive o prazer de ser convidada para ir para o CMSP e conhecer tudo de pertinho e minha experiência no CMSP foi incrível. Eu amei conhecer os professores de pertinho, ver os estúdios e saber tudo o que acontece por trás das câmeras e isso me deu mais forças para continuar a querer ajudar outros alunos, que precisam de ajuda, mas não se interessam pelos estudos” relatou a aluna.

A professora Mônica Cardoso Pereira lecionou língua portuguesa no CMSP, ela também incorporou em suas aulas elementos usados pelos alunos nos studygrams, como bullet journal e letterings que são técnicas de design de escrita utilizadas pelos alunos na elaboração das postagens e resumos. “Nós ficamos extremamente orgulhosas em poder, neste final de ano, proporcionar um dia tão feliz para esses alunos que nos acompanharam durante todo o ano de forma excelente, eles representaram muito bem todos os estudantes da rede, são os verdadeiros Embaixadores do CMSP”, relatou.

Outro studygrammer, Matheus Richard, aluno do 6º ano da escola estadual doutor Honorino Fabbri, de Hortolândia, contou que no começo da pandemia ficou triste pois não poderia ver seus amigos e professores na escola, mas agora ele gosta das aulas remotas pois pode conhecer outros professores e alunos. Para o futuro ele imagina que as aulas serão híbridas. “Eu acho que vai ter aula como era antes da pandemia, mas também vai continuar as aulas online. Eu queria que fosse dessa maneira”, afirmou o aluno.