segunda-feira, 20/08/2018
Crédito: A2img / Mastrangelo Reino
Notícia

Casa das Rosas exibirá vida e obra do poeta Haroldo de Campos

Com entrada gratuita, mostra é a oportunidade para conhecer de perto a trajetória e os legados do autor

A partir do dia 31 de agosto, a Casa das Rosas dará início à exposição “Meninos eu v!”, um mergulho audiovisual na obra e vida do poeta paulista Haroldo de Campos. A mostra, gratuita e sem necessidade de inscrição prévia, é em homenagem aos 15 anos da morte do autor.

Neste trabalho, será explorada a linguagem cheia de aventuras do poeta, que experimentou intensamente a extrapolação dos limites deste gênero textual. O projeto é baseado no poema “Meninos eu v!”, publicado no livro Crisantempo – no espaço curvo nasce um (1998), que mostra a trajetória criativa e intelectual de Haroldo, bem como suas influências e afinidades.

“Além de grande poeta, crítico e tradutor, Haroldo teve uma vivência internacional rara entre autores brasileiros: conviveu e dialogou com grandes autores internacionais como Roman Jakobson, Octavio Paz, Max Bense e Julio Cortazar, entre outros”, explica Julio Mendonça, curador da exposição e coordenador do Centro de Referência Haroldo de Campos.

Composta por uma instalação com três vídeos, a mostra explora o poema e evidencia algumas das referências contemporâneas ao poeta. Em 1956, Haroldo teve um importante papel na criação da Poesia Concreta, ao lado de Augusto de Campos e Décio Pignatari, um movimento literário brasileiro que obteve grande projeção internacional.

Cultura e Educação

A Casa das Rosas é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta. A iniciativa, portanto, é uma forma de promover a cultura nacional a todos os paulistas.

Essa é uma das principais preocupações da Secretaria de Estado da Educação com alunos e familiares da rede de ensino. Para o titular da pasta, João Cury, cultura e arte despertam curiosidade e estimulam competência e habilidades socioemocionais fundamentais para o jovem lidar com o mundo. “Precisamos de alunos mais resilientes, mais disciplinados e mais focados”, completa Cury.