segunda-feira, 28/01/2013
Pais e Alunos

Educação e Governo de São Paulo lançam programa Alimentação Saudável

Objetivo do programa é conscientizar mais de 92 mil alunos sobre a necessidade de cuidados com a saúde

O governador Geraldo Alckmin e o secretário-adjunto da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, João Cardoso Palma Filho, anunciaram hoje (28/01) o programa Alimentação Saudável.

O objetivo é conscientizar os alunos da rede estadual de ensino sobre a importância de boas práticas alimentares para uma melhor qualidade de vida, diminuindo os riscos de doenças cardiovasculares, obesidade, hipertensão, altos níveis de colesterol, tabagismo e sedentarismo.

“O propósito é aprimorar constantemente a alimentação oferecida aos nossos alunos e incentivá-los a adotar atitudes voltadas à promoção da saúde. A ideia é que os estudantes compartilhem com suas famílias o conhecimento adquirido para também melhorar os hábitos alimentares em casa”, afirma o secretário-adjunto João Cardoso Palma Filho.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Durante o evento, o governador autorizou a parceria entre a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo e a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) para o desenvolvimento de um projeto-piloto em 128 escolas estaduais da capital e Grande São Paulo. Inicialmente, 92 mil estudantes serão beneficiados pela ação conjunta. A partir dos resultados obtidos, o programa deverá ser gradativamente estendido às demais unidades da rede estadual.

Capacitação

Por meio de videoconferências e orientações técnicas, a SBC capacitará uma equipe multidisciplinar de cada escola, que servirá como multiplicadora para a comunidade escolar de atividades que promovam hábitos saudáveis a fim de prevenir diabetes, hipertensão, altos níveis de colesterol, obesidade, entre outros problemas de saúde.

A parceria também prevê um estudo para detalhar o perfil nutricional dos alunos. A avaliação vai aferir peso e altura e medir a circunferência abdominal de 13 mil jovens dessas escolas.

Com os dados, a Secretaria da Educação e a entidade médica conseguirão mensurar como a iniciativa impacta a vida dos jovens, isto é, se houve redução do peso corporal e melhora na saúde após a implantação do programa. O resultado também permitirá conhecer o percentual de fatores de risco detectados nas crianças e nos adolescentes.

Para aprimorar a qualidade dos alimentos servidos aos estudantes, a Secretaria da Educação já promove a redução de sódio na merenda. “Só no ano passado, o teor de sódio dos alimentos adquiridos foi reduzido de 5% para 1%, com o apoio técnico da SBC”, explica a coordenadora de Infraestrutura de Serviços Escolares, Ana Leonor Sala Alonso. Além disso, a partir deste ano, serão incluídos no cardápio produtos integrais, como biscoitos e flocos de milho.